segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Você Tem Saudades de Que?

Desde que eu fiz esse blog, com certeza é a pergunta pessoal que mais me fazem. Mas, como fim de ano o povo fica mais sentimental, de novembro para cá, eu perdi as contas das vezes que eu respondi essa pergunta. rsrs.

Geralmente depois de perguntar do que eu sinto saudades as pessoas complementam assim: "Tirando a família, né? eu quero dizer coisas, sonho de valsa, bis..."

Ou seja, na verdade vocês querem saber de qual chocolate eu sinto falta, né? E só dão exemplo de chocolate Lacta, é uma coisa incrível. Eu não sei, mas eu tenho a impressão que se um dia a Lacta falir vai haver um suicídio coletivo no Brasil.

Enfim, mas vamos falar de saudade. Não preciso nem deixar claro que isso nada mais é do que minha opinião e meu modo ultra-pessoal de ver as coisas.

O que eu acho, sinceramente, é que saudade é um "erro" ou um "ajuste errado" no seu equilíbrio emocional. Na verdade, a grande maioria das pessoas já saem do Brasil se lamentando pelo que elas vão "perder" ou pelo que elas imaginam que não terão no outro país.

Muita gente antes deixar o Brasil me escreve e fala assim: "deixa eu aproveitar essa paisagem porque aí não vou ter isso" ou deixa eu comer tal coisa que depois não vou comer isso tão cedo" e centenas de outras frases carregadas de lamúria. Sem falar, no "Aí tem determinado produto? Ah porque não vivo sem isso" (para mim o pensamento mais estúpido de todos)

Perceba que a pessoa já está se boicotando, já está se programando para achar o país para o qual ela está imigrando uma porcaria. Ela está se preparando para chegar aqui e já ter pronta a lista de saudades e sofrimentos" que ela decidiu carregar.

Desculpa, mas com toda sinceridade do mundo, se qualquer bobagem dessas passa ou passou pela sua cabeça antes de você imigrar para Israel ou qualquer outro país que seja, não imigre!

Agora respondendo, o que eu já me cansei de responder esse mês. Sinto falta dos meus pais e do meu irmão, mas sei que eles estão bem, falo com eles quase todo dia e me sinto mais próxima deles hoje do que quando eu morava no Brasil para dizer verdade.

Não sinto falta de nenhum alimento do Brasil e nunca gostei de chocolate lacta. Nunca gostei muito de chocolate quando vivia no Brasil, nem chocolate Europeu me atraía muito. Depois de provar os chocolates israelenses realmente eu mudei de opinião sobre os chocolates. O chocolate israelense é uma delícia e mesmo que não fosse, aqui você tem acesso a uma variedade enorme de chocolates europeus (alemães, belgas, holandeses etc) e super barato, não vejo razão para ninguém sofrer por essas pastas de açúcar e manteiga de cacau que são os chocolates brasileiros.
Uma pequena amostra do chocolate israelense.

Sem falar que há muita coisa do Brasil que eu já nem me lembro mais, antes de vir para Israel eu morei na Bolívia e brevemente no Paraguai então já faz muito tempo que o Brasil deixou de fazer parte da minha vida.

Imigrar é uma escolha, e como toda escolha inclui ganhos e perdas. Resta a você saber se quer sofrer pelas perdas ou se alegrar pelos ganhos.

Saudade e falta de adaptação são duas coisas que caminham de mãos dadas, enquanto você não resolver abandonar a saudade, você não conseguirá se adaptar a nenhum lugar ou a nenhum novo estilo de vida. Conforme você se adapta, a saudade diminui.

Só que adaptação não é uma mágica que vai acontecer naturalmente, adaptação é uma decisão que você toma e ao se desapegar da sua vida pregressa, dos seus hábitos e das suas "verdades absolutas" você permite que esse processo aconteça. Simples assim!

Até uma simples mudança no clima requer adaptação. De que adiantaria sofrer no inverno pelo verão ou vice-versa?


36 comentários:

  1. Olha não me leva a mal. Eu leio seu blog há muito tempo e hoje é a primeira vez que estou comentando.

    Sabe o que eu vejo quando você escreve? Eu vejo uma pessoa com características de gênio. Ao menos superdotada você é e sabe que é.

    Eu gosto muito do seu jeito de escrever, me divirto, mas você precisa saber que a maioria das pessoas não tem tanta facilidade para viver a vida, nem todo mundo tem a mente privilegiada que você tem para aprender um idioma ou para lidar com as situações da vida.

    É mais difícil para as outras pessoas. Eu continuo lendo porque você me inspira, mas eu sei que a sua verdade nunca será a minha verdade.

    Natan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natan,

      Obrigada por comentar. Sinceramente não sei nem o que te responder, então se você acha que eu eu te inspiro, fico feliz.

      Abraços. :)

      Excluir
  2. É Yaheli do jeito que a coisa anda por aqui eu também não sentiria saudades de nada , absolutamente nada além dos parentes . O Natan disse tudo .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Micheline,

      De fato, família você tem que estar preparado para ficar longe, (por isso eu acho que imigrar não é para qualquer um), mas o resto você tira de letra fácil, basta querer.

      Bjs.

      Excluir
  3. Ya, a vezes paro pra pensar em vc e é exatamente como o Natan falou.. vc se adaptou muito facil.. acho que eu tbem me adaptaria muito facil a Israel, porque me pareço um pouco com vc, do seu modo de pensar, mas nem todos conseguem isso, porque no fundo vivemos presos a algo ou a alguem... e os medos sempre vem, é dificil mesmo. Saudades na verdade é um sentimento de amor, por algo ou por alguém... acho até que saudade vem junto com arrependimento, porque muitas vezes deixamos " de " ou "daquilo" ... eu amo o blog e vc sabe bem disso, venho aqui todo dia. Mas tbem nao quero me "apegar" rsrsrs pra depois nao sentir saudades, no dia em que vc resolver parar de escrever. Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rô,

      Eu também tenho medos! Mas meus medos não vem dos meus apegos sentimentais, vem do meu perfeccionismo (que talvez até seja uma forma de apego e que eu trabalho muito para abandonar), mas não tenho medo de mudanças, ao contrário, tenho medo de não mudar, tenho horror a ideia de ter a mesma vida para sempre. Tenho horror a ideia de uma vida onde eu não tenha nada para aprender, nada para descobrir, nada para me adaptar.

      Não sei se saudade é um reflexo do amor, para mim saudade se parece mais com posse, com querer ter a pessoa ou a coisa com você. O amor é livre, o amor é um sentimento que te liberta, que te deixa feliz, a saudade te deixa triste.

      Saudade vem do apego. Quando você se desapega, sobra o que há de bom em qualquer coisa: o amor e as boas lembranças, mas sem dor, sem sofrimento e sobretudo, sem saudosismo.

      Vou parar por aqui, se não, não paro nunca. :)
      Bjs.

      Excluir
  4. Oi, Yaheli, que legal, um post novo, eu já tava com saudade mas afinal creio que nosso maior problema para nos adaptar, seja quanto a cultura, alimentação, costumes de outros lugares seja o medo do desconhecido, de não sabermos exatamente o que nos espera em outro lugar, é a nossa fragilidade e dependencia que temos á pessoas e coisas ao qual já estamos acostumados e o desconhecido nos assusta e é isto que temos que trabalhar em nós primeiro e depois a mudança será mais fácil, eu acredito que é assim. Acredito que para mim seria fácil(acho) pois adoro conhecer lugares novos e provar sabores diferentes, mas enfim, só indo pra saber. Obrigado por mais este, até achei que tu estava desistindo de escrever no blog mas não quis te perguntar no face pra não te pressionar, ainda bem que tu não desistiu rsrs. Beijão. Carmen.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se preocupe, o dia que eu resolver parar de escrever, eu farei um post para dizer isso. Não teria o mínimo sentido simplesmente abandonar o blog e vocês que são tão legais comigo.

      Eu queria ter mais tempo para o blog, mas agora estou postando no tempo que dá. Tem um monte de post começado sem terminar de um monte de coisas que eu quero mostrar para vocês. Ainda não está na hora de parar não. :)

      Bjs e conserta esse computador logo, viu? A gente sente falta de você lá no Face.

      Excluir
  5. Fala Ya,
    hum...
    Saiba você que o Lacta é o melhor chocolate do Brasil rsrs..
    Ai, na boa, quando eu for para ai vou sentir saudades do Brasil sim...
    Do governo ladrão e bandido, dos bandidos nas ruas, do calor infernal, da Globo LIXO, dessa mania idiota do povo se matar por um time de futebol, desse carnaval nojento, do povo que adora mijar nas ruas, da policia bandida e corrupta, dos impostos daqui que são de pelo menos 50% de qualquer coisa, e de mais um monte de coisa.
    humm... será que tem mesmo alguma coisa pra sentir saudades no Brasil???
    Bom, em Israel tem chocolates e mar para pescar, então FODA-SE o lixo do Brasil.
    Saudade dessa porcaria aqui?
    rsrs... só rindo mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou obrigado a concordar contigo, sem tirar e nem por.

      Excluir
    2. Concordarei também, menos com a parte da Lacta. Eu detesto chocolate Lacta. rsrs

      Bjs.

      Excluir
    3. Opa, também não concordo com a parte do chocolate!

      Lacta eu gosto de Ouro Branco, só! rs

      Excluir
    4. Chocolate que eu comia de vez em quando no Brasil era o Talento branco que eu sei que é da Garoto e o Galak que nào lembro se era da Lacta ou da Nestlé.

      Excluir
  6. E esse chocolate "da vaquinha" tem uma versão com umas bolinhas que explodem na boca, muito bom! haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse versão que explode é legal, um disfarçado retorno à infância. rsrs.

      Excluir
  7. concordo 100% com péscas e Dicas, é exatamente isso que virou o brasil, é tudo isso e mais um monte de absurdos, infelizmente não sabemos mais onde vamos parar e como vai terminar tudo isso mas nem todos temos a oportunidade de deixar o brasil, quem tem que aproveitee se mande antes que seja tarde. Abraços. Carmen.

    ResponderExcluir
  8. Desculpe, Yaheli, mas vou ter de discordar parcialmente de vc desta vez! Talvez os anos que vc passou fora tenham feito vc esquecer o real sentido da expressão "Sentir Saudade".
    Na minha opinião, saudade e apego não precisam necessariamente estar entrelaçados. Eh claro que andam junto, mas o fato de vc sentir saudade de algo não quer dizer que vc não possa viver sem aquilo. Por exemplo, quantos não temos saudades de nossas infâncias e nem por isso sonhamos em voltar a ser crianças. Eh tudo uma questão de equilíbrio. E isso eh o segredo de sucesso para tudo que desejamos empreender.
    Tudo bem que o chocolate da vaquinha eh beeem melhor que o lacta, mas duvido que vc não sinta falta de uma coxinha de frango, um pastel, que sei que tem na feira em Jerusalém, mas que não se encontra em qualquer lugar por ai, um bom churrasco, que por ai alem de raro custa os olhos da cara. Sei que nada disso eh insubstituível, mas que eh bom eh!
    Quanta gordice! Interessante como a gente relaciona nossas experiências culturais com gastronomia, né? Sentir falta dessas coisas eh sentir saudades. Que mal isso tem? Agora viver buscando essas experiências no lugar onde elas não cabem, isso sim eh problema!
    Um abraçao! Estava com SAUDADES de seus posts!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pati, tudo bem?
      Eu acho que eu já tinha respondido algo sobre saudade para você em algum outro post, não?

      Não lembro o que eu disse, mas não deve ter sido muito diferente do que eu vou dizer agora.

      Eu não sinto saudade de absolutamente nada do Brasil. Alguns salgados e doces do Brasil que a gente gostava a gente aprendeu a fazer, coxinha, pastel, pão de queijo, crustoli (que em alguns lugares se chama cueca virada), feijoada entre outras coisas.

      Mas de tudo isso que a gente fazia, os dois únicos pratos brasileiros que a gente ainda comia frequentemente até o ano passado era estrogonofe e salpicão (salpicão não é totalmente brasileiro, mas enfim, vamos considerar) e pão de queijo.

      Você pode não acreditar, mas a gente se desapegou completamente dos hábitos alimentares do Brasil.

      Estrogonofe acho que a gente fez umas duas ou três vezes esse ano. Pão de queijo desde o início do ano que nenhum dos dois nem pensa no assunto. Só salpicão que a gente ainda faz de vez em quando, o resto é comida que a gente introduziu na nossa vida depois de sair do Brasil.

      E o churrasco daqui é ruim mesmo. Até hoje me arrependo dos restaurantes brasileiros que eu fui aqui. Fomos em 2, um pior que o outro. Aliás um nem comida brasileira parecia, o outro era comida brasileira ruim. O que é uma pena, eu não me importaria em pagar caro num bom churrasco.

      Na Bolívia tinha um restaurante brasileiro excelente e nós vivíamos lá. E o melhor churrasco que eu comi na minha vida comi no Paraguai, numa churrascaria brasileira em Asunción.

      Só que os anos fora do Brasil, de fato me fizeram não sentir falta das coisas e da comida do Brasil. Não sentir falta não significa que eu não goste, só que no dia a dia nem me lembro desse tipo de coisa.

      Os meus 3 primeiros anos aqui, senti muita saudade do Paraguai, nunca pensei que eu pudesse me adaptar e me apaixonar tão facilmente por um lugar como aconteceu com o Paraguai, infelizmente não deu para ficar lá.

      O tempo passou e hoje me sinto 100% adaptada à israel e não sinto falta, nem saudade de nada de lugar nenhum, ainda que eu guarde um carinho enorme pelo Paraguai, pelo povo e pela cultura deles.

      E não, eu não sinto saudade da minha infância, tenho boas lembranças, mas não tenho nenhum tipo de nostalgia com relação a nada que passou.

      Eu acho que saudade é apego e apego traz sim sofrimento, mas essa é a minha opinião, minha visão.

      Opinião de quem montou e desmontou casa em um monte de lugares diferentes, montou e desmontou a vida enxergando um monte de horizontes diferentes.

      Eu sei o que é saudade, eu sei o que é apego e eu acho que saudade é em grande parte auto-destruição, auto-boicote.

      Não consigo acreditar que uma pessoa que está fora do Brasil há 3 ou 4 meses esteja louca de saudade de qualquer coisa que seja, nem mesmo da família.

      Isso é sofrimento pré-programado que as pessoas montam para elas mesmas, para justificar o que elas já sabem desde o começo que não vão conseguir levar adiante. É o que eu digo no texto, as pessoas começam a sentir "saudade" antes mesmo de deixar o Brasil, é nostalgia antecipada. Se isso não é apego, eu não sei mais o que é.

      Bjs.

      Excluir
  9. Sempre leio seus posts,porém,faço poucos comentários,talvez por sempre concordar em gênero ,número e grau,mas,neste post ,sentí como que um orgasmo psicológico e emocional,pois você consegue colocar de forma muito lógica e prática, tudo que eu e minha família sentimos à respeito das muitas mudanças,(coisa que achei que fosse exclusividade nossa);sempre à busca de novos sonhos e possibilidades de uma vida melhor,e,mesmo que o melhor não venha,o que é detalhe...rsrsrsrsr...sempre vale a pena.Mas,como vocês,montando e desmontando casas...montando e vivendo sonhos,tem coisa melhor?Porém, sem desapego,não teríamos a possibilidade de tantas vivências.Portanto,para mim,estando com meu marido e meu filho,e uma troca de roupa,vivo bem em qualquer lugar...e claro;para facilitar,sempre moramos em apartamentos mobiliados,para termos menos a desmontar e carregar.E com certeza,quando chegarmos à ISRAEL,já teremos fechado definitivamente a porta de entrada para o Brasil,pois se isso aqui fosse bom e me deixasse saudades,eu ficaria aqui mesmo,comendo a porcaria dos chocolates daqui e vivendo a mediocridade reinante aqui,que é algo que se não tomarmos cuidado,impregna a alma.
    Los Peck

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      "Orgasmo psicológico e emocional" kkkkkkkkkkkkk. Amei isso!!!

      Muito legal seu comentário. Um dos que eu mais gostei de ler aqui.

      É o que eu sempre digo para o meu marido juntos e com uma mochila de roupa a gente fica bem em qualquer lugar. Hoje seria uma mochila de roupa e um pacote de ração. rsrs

      E foi assim que a gente chegou em Israel com duas malas (uma de roupa e de coisas de casa) e um laptop, nada mais.

      E me orgulho pra caramba de todas as nossas escolhas, acho que não houve erros, houve mudanças de planos em função dos novos aprendizados que a gente foi adquirindo e das novas perspectivas que a vida foi nos apresentando.

      Saudade é uma enorme perda de tempo e de energia.

      E eu concordo com você se é para sofrer por saudade melhor ficar no Brasil, que diga-se de passagem seria a decisão mais fácil, né? Nasceu aí, fala o idioma, conhece tudo, qual a razão de imigrar voluntariamente e ficar sofrendo?

      Muito obrigada mesmo pelo seu comentário, fiquei muito feliz. Te desejo muito boa sorte aqui em Israel e qualquer dúvida só escrever, certo?

      Bjs. :)

      Excluir
  10. Um dia quero sair do Brasil. Porém a minha maior motivação não são os nossos problemas sociais, administrativos ou qualquer coisa do gênero. O que me inspira mesmo é a possibilidade de conhecer coisas novas, gente nova, lugares novos, culturas , concepções e estilos de vida diferentes. Gosto do meu país como disse anteriormente e acho que dificuldades e problemas irão existir mesmo em um país mais desenvolvido como é o caso de Israel. Porém o que deve realmente motivar qualquer um que quer morar longe de seu país é o desejo de viver o novo pois isso supera qualquer saudade. Hoje eu moro distante de minha família. Tenho muito tempo sem vê-los, apesar de falar com eles todos os dias. Porém é o prazer de estar vivendo em um lugar diferente (em vários aspectos) que me faz querer ficar. Compreendo também que não são todas as pessoas que tem esse sonho e nos cabe respeitar o que cada um deseja para sua vida. Porém e que não deve de forma nenhuma acontecer é, devido ao fato de não estar se adaptando a um lugar novo, começarmos a falar mal. As coisas sempre foram daquele jeito e o que nos cabe é procurar se adaptar ou então ir embora.
    Parabéns pelo blog
    ps: vc me fez querer conhecer Israel a tal ponto que estou planejando fazer um intercâmbio ai.
    Fica com DEUS e forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal fico super feliz mesmo de ter conseguido despertar em você a vontade de conhecer Israel.

      Já está aceito no Face, só chamar quando quiser.

      Abração :)

      Excluir
  11. vi vc falar sobre um facebook. Queria trocar umas ideias com vc. Pq como disse no post quero fazer um intercâmbio. Então gostaria de saber se vc poderia me ajudar nesse sentido.
    desde já agradecido
    Talisson Ferreira

    ResponderExcluir
  12. E ai Yaheli !
    Quanto tempo hemmm (ao menos aqui no blog) !!!

    Não sinto falta de nada, só de alguns familiares e amigos ...

    Chegar em Israel é como voltar pra casa, apesar dos problemas que você sabe, só enxergo melhoras daqui pra frente.

    Só acrescentando aos elogios do pessoal ai de cima, você é uma pessoa muito legal mesmo e você já sabe, quero ir na noite de autógrafos do seu livro e se quiser me vender um pouquinho dessa sua paciência, podemos negociar, pago em NIS ou ração ...

    Deixa as coisas se acomodarem por aqui, até porque o Ulpan daqui é bem puxado, que vamos ai apertar o Oxford.

    Toda raba e Shalom;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Yaheli, não sei porque o nome saiu como Google ! O comentário ai acima é meu.

      Shabat Shalom

      Gabriel

      Excluir
    2. Eu achei que fosse você mesmo! ;)

      Concordo com você também senti como se voltasse para casa e hoje sei que estava certa.

      E olha te venderia fácil a minha paciência por alguns pacotes de ração, o problema é que paciência está em falta no estoque. Rsrs

      Abração
      Shavua tov
      Boa aula amanhã!!!

      Excluir
  13. Prezada Yaheli,
    Aceito a sua opinião sobre morar fora e sei bem como é quando você entra em supermercado em outro país e vê tanta variedade.Gosto não se discute não é verdade?Mas, sobre chocolates israelis e brasileiros eu prefiro os brasileiros desculpe!Sua estadia em Israel ainda é de imigrante "OLÁ RADASHA" e tudo é novo.Foi assim comigo e minha família.Vivi em Israel por 16 anos e conheço muito bem este país e toda a sua influência , nada contra, afinal, fiz parte deste mundo em que ganha o mais forte.Aprendi muito e curti muito, só que não se iludam demais com "TANTAS FACILIDADES" pois eles sabem te dar com uma mão e tirar com a outra.Quando um é imigrante, continua imigrante,fato!Hoje, graças a Deus, estou fora deste lugar a mais de 8 anos e não sinto saudades nenhuma.Sinto que meu ciclo acabou neste país.Poderia sim um dia visitar mas voltar a morar...Não!Não sou só eu quem sente isso e sim uma legião de imigrantes que deixaram israel por motivos mil.Espero que sua estadia seja ótima e que possa se sentir bem e realizar seus sonhos.
    Mas, não se iludam!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo ou amiga,

      Fato, gosto não se discute e por isso no texto eu deixo bem claro que é minha opinião.

      Agora, não me tire por você, eu moro em Israel há 5 anos, nada mais é novidade para mim, ao contrário,enquanto as coisas eram novidade e enquanto o hebraico foi um problema eu achava tudo uma porcaria.

      Para mim, israel ficou bom depois de 2 anos, justamente porque nada mais era novo e porque o hebraico ficou pleno.

      Se você ficou aqui por 16 anos sentindo auto-piedade da sua condição de "olê radash estendida", lamento por você.
      Eu deixei de me considerar olá radashá com 1 ano aqui, que eu acho que é o normal.

      Agora me diga que facilidades alguém dá aqui para alguém? Tirando os 8 primeiros meses que você tem klitá, o que mais você tem? Nada, né?

      Então não tem ninguém para me tirar nada, porque ninguém me deu nada.

      Tudo que nós (meu marido e eu) temos, nós garimpamos com a nossa competência e profissionalismo, muito possivelmente é o que deve ter faltado a vocês. Se não fosse você não precisaria esperar nada cair do céu ou alguém te dar alguma coisa.

      O Estado de Israel não tem obrigação de dar nada para ninguém, a obrigação é sua de aproveitar uma imigração financiada, que cai no seu colo de mão beijada. Qual outro país faz isso?

      Lamento que vocês não tenham sabido aproveitar melhor a oportunidade de vocês.

      Abraços!!!

      Excluir
    2. Olá, não se ache um poço e grande fonte de experiência transbordando sabedoria, me desculpe para mim você não é. Experiência e competência para mim não é medida em anos. Não ache que por ter vivido 16 anos em Israel você sabe mais do que eu, você não me conhece, e sinceramente, uma pessoa que levou 16 anos para chegar a conclusão de que Israel não vale a pena não é um exemplo de nada.

      Eu e minha esposa já vivemos fora do Brasil há 7 anos, Israel é o terceiro país, se você se iludiu com um supermercado grande, cheio de coisas não nos tire por você, já conheci diversos supermercados mundo a fora em outros países inclusive muito maiores que os de Israel, e não é isso que me fez querer ficar aqui.

      Quanto a essa besteira de ser novo imigrante, somos tão imigrantes como a grande maioria da população israelense, e nem penso nem sinto isso durante meu dia a dia, nem me escondo atrás desse rótulo, me desculpe, mas só vejo pessoas incompetentes se valendo disso para justificarem seus fracassos, eu e minha mulher somos israelenses, com todos direitos e deveres de qualquer outro que vive aqui, não me sinto menor nem maior, nem faço esse papel de imigrante coitado e discriminado, se durante os 16 anos que esteve aqui você não se sentiu parte do país é uma pena, eu me senti no primeiro minuto.

      Quanto aos seus conceitos de “Tantas Facilidades”, ”dar com uma mão e tirar com outra” e “fiz parte desse mundo em que ganha o mais forte”, primeiramente gostaria de saber quais são essas facilidades que você se refere, como minha esposa disse, ninguém tem nada para tirar de mim, pois nunca me deram nada, a única pessoa que pode tirar algo de mim sou eu mesmo, e essa besteira de mundo em que ganha o mais forte, você deveria ser mais adulto e deixar de ser sonhador e infantil, isso não é peculiaridade de Israel, mas de qualquer país do mundo, só os competentes e fortes vencem e são felizes. Vejo que para uma pessoa que se julga tão experiente você é muito infantil, tem uma visão diminuta e reducionista e não aprendeu nada com sua experiência no exterior, esse discurso com ar de lamúria e sofrimento não combina nada comigo e com a minha esposa. Desfrute bem do seu chocolate lacta.

      Excluir
    3. Prezado,
      Vejo que não entendeu a minha colocação.Não tenho "experiência" e não sou um "poço de sabedoria"!Agora,parabéns! Você entrou em grandes supermercados em vários países,uau, KOL A KAVOD!!!
      Talvez por isso já esteja mais acostumado.Rapaz, sou mais israeli do que você pensa!Você com todo o seu preparo esteve na guerra do Iraque? já que você se coloca como uma pessoa sionista.Você ajudou este país a crescer, construiu casas, colheu laranjas em pardez?Trabalhou com palestinos na mesma empresa?Acho que em quatro anos você deve ter mais experiência mesmo!Você é o que se chamam de arrogante e sem educação, desculpe!Não tinha a intenção de chegar a este ponto mas, como bom ISRAELI que sou,não levo desaforo sem retrucar!!Como se vê, você rodou tanto em tantos países e caiu aí...Pessoas como você se acham mas no fundo, são sem conteúdo, esta no lugar certo.Sobre chocolates Lacta, existe esta marca aí também e não é a única marca de que gosto.
      abraço!

      Excluir
    4. Ele entendeu o que todo mundo entendeu, uma colocação lamuriosa, arrogante e cheia de amargura.

      Acho que você não sabe o que é sionismo. Onde ele se colocou como sionista? Ele não disse isso, simplesmente porque não nos consideramos sionistas, bem se vê que você compreende bem mal tudo que lê, não é difícil perceber porque você não obteve sucesso em Israel.

      Você acha que colher laranja ou cumprir obrigação militar é ajudar o país a crescer? Mais uma vez é fácil notar o quanto seu pensamento é pequeno e reducionista.

      Nós ajudamos o país pagando impostos, tendo bons empregos em instituições israelenses. Nossa ajuda ao país é intelectual, lamento se para você apenas restou o trabalho braçal.

      Nós não caímos em Israel, nós escolhemos Israel, assim como você escolheu o Brasil
      Como você mesmo disse lá em cima, gosto não se discute.

      Só não entendo o que você veio procurar num blog sobre a vida em Israel se você é tão conhecedor do assunto e aliás segundo você mesmo disse não tem qualquer interesse nesse país "terrível que dá com uma mão e tira com a outra"


      Bom é o Brasil que não te tira nada, simplesmente porque nunca te deu nada, não é?

      Nunca te deu bons hospitais, nunca te deu boas escolas, nunca te deu segurança e qualidade de vida, nunca te deu nem mesmo um salário mínimo descente. Então de fato, esse país não pode te tirar nada.

      Seja feliz aí, onde você nunca vai perder nada.

      Excluir
    5. Acho que o Humus em excesso deve ter feito mal a você enquanto morava em Israel. Primeiramente o único arrogante aqui é você querendo fazer esse papel de sabichão experiente e agourando a mim e a minha esposa.

      Não entendo a relevância de você ter trabalhado com palestinos, qual a relevância e importância disso? Na instituição que trabalho temos árabes israelenses, e recebemos palestinos todos os dias, é um ambiente com judeus, cristãos e muçulmanos, não sei onde você quis chegar com esses comentários, você se acha muito corajoso por isso se acha?

      Quanto a guerra do Iraque você não fez nada nela, pois Israel não realizou nenhuma operação militar. Você pode ter ficado de prontidão, prestado auxílio à população civil ou trabalhado no Shirut Leumi, mas não fez nada além disso, inclusive sua obrigação como cidadão israelense. Qualquer trabalho é digno, mas não venha dar uma de gostoso e dizer que construiu o país catando laranjas. Se você acha que construiu o país com suas laranjas eu construo e sigo construindo muito mais que você, você sabe quanto eu e minha esposa pagamos de Imposto de renda por mês sobre nossos salários? Sabe quanto eu capto de recursos na instituição onde trabalho, que são divisas que vêm do exterior para Israel, sabe? Deixe de ser infantil e cresça um pouco e também para de se fazer de vítima e fatalista por favor. O único aqui sem educação é você que se meteu a dar conselho e orientação sem ser convidado.

      Excluir
  14. Olá Yaheli,
    Mais alguns orgasmos garantidos...kkkkkkk...aliás,obrigado pelo elogio,pois vindo de você muito me envaidece,e desculpe-me por não ter agradecido antes,mas,como em nossa terra brasilis,terra em que tudo te é dado,ainda não consegui obter em minha nova casa os serviços básicos de telefonia,tv e internet ,serviços solicitados há mais de 6 meses.Mas simmmm...consegui que meu nome fosse negativado pela mesma empresa mesmo sem ter os serviços instalados...como em Israel...não te dá com uma mão e te tira com a outra.
    Na verdade o que postei foi um desabafo relacionado à minha insatisfação com todo o sistema e mediocridade de mentes inferiores como essa.
    Pois,após ter tido a grande oportunidade de sua vida,de sair de um país de quarto mundo,e entrar em um país de primeiro mundo,pela porta da frente e sendo carregado no colo,só ter se dado a oportunidade de catar laranjas e ainda voltar para cá com o rabinho entre as pernas,derrotado e choramingando,e ainda se dando ao direito de aconselhar pessoas capacitadas e com resiliência suficiente para viver bem em qualquer lugar do mundo,pois quem vive bem em Israel, consegue viver bem em qualquer parte do mundo,realmente não sei se rio ou se choro...
    Com certeza,tudo depende do nível de exigência de cada um,e percebo que cada dia mais,preciso de mais para mim e minha família,e tenho a certeza,que aqui não terei,pois tenho 46 anos,e desde que nasci,ouço que o Brasil é um país do futuro,e este futuro ainda não chegou.
    E mesmo após ter me questionado inúmeras vezes se não estou sendo como os ratos que abandonam o navio,cheguei à conclusão que se posso dar ao meu filho possibilidades infinitamente superiores,em questões de ensino,saúde,transporte,trabalho;possibilidades que neste navio não há,mesmo correndo o risco dos problemas de adaptação,necessito de um navio melhor,pois sou melhor;e,se um dia Israel não me satisfizer,com certeza,irei para algum país mais evoluído,e nunca para um mais involuído,pois, realmente voltar para o Brasil e viver satisfeito com a política do pão e circo daqui,assistindo novelas,futebol todas as quarta-feiras, sendo feliz com a cervejinha das sextas-feiras, carnaval ,e comendo os ruins e velhos Lacta e Garoto, para mim,não satisfaz,e considero que quem se sente satisfeito com os mesmos,é o próprio supra-sumo da imcompetência.

    Val Peck

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um excelente comentário.

      Uma coisa é fato, problemas de adaptação existirão, em Israel ou em qualquer outro lugar, mas viver é ter que se adaptar o tempo todo. Há 25 anos atrás praticamente não existiam computadores, hoje não existe pensar na vida ou no mundo sem computador. Quantos profissionais não foram alijados do mercado de trabalho por causa dessa nova exigência, por não terem se adaptado?

      Viver é se adaptar, então, como você mesmo disse, por que não viver num país que te dá possibilidade infinitas? Em Israel, as diferenças sociais entre as pessoas existem claro, mas não são gritantes como no Brasil, aqui você verdadeiramente tem acesso a tudo, você não vive à margem da vida por conta de questões sociais.

      A igualdade com que todos são tratados em Israel é que te faz ter rapidamente essa sensação de pertencimento ao país, e uma vez tendo um hebraico pleno, você não tem mais problemas em Israel, nenhum mesmo!

      Escreverei sobre isso! rsrs

      Super beijo.
      Feliz Ano Novo!

      Excluir
  15. Oi, Yaheli!
    Aí já deve estar ficando frio, né? Pois, aqui no RS tá um calorão daqueles; afinal, já é "pleno verão."

    Passo só pra dar um "oi" e um "feliz ano novo" pra ti e pro Dan -- e pro Oxford, claro.

    Continue sempre escrevendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui já nevou, já choveu, já faltou luz por conta do excesso de neve e chuva, mas nos últimas dias o frio deu uma trégua (ficado na casa dos 10º₢ graus ou um pouquinho mais no meio da tarde). Esse ano o inverno e outono vieram mais quente que de costume.

      Muito obrigada pela lembrança.
      Feliz Ano novo para você também.

      Excluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...