sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Vantagens de Se Viver em Israel

Enumerar as vantagens de se viver aqui é com certeza bem mais fácil do que elencar as Desvantagens de se viver em Israel. O difícil neste post é limitar essa lista a poucos itens.

Segurança - Indiscutivelmente a maior e melhor qualidade de Israel. E é meio auto-explicativo. Não tem preço viver e se deslocar para qualquer lugar a qualquer hora do dia ou  da noite, sem risco algum de roubo, assalto, sequestro relâmpago ou qualquer outro tipo de violência. Violência urbana ainda é algo praticamente inexistente em Israel.

Transporte Público de Qualidade - Ônibus e trens limpos, seguros, revisados, pontuais e com internet wi-fi na maioria deles. Precisa algo mais? Impossível não se apaixonar pelo transporte israelense.

Saúde Pública de Qualidade - Outra coisa que dá muita tranquilidade, saber que não importa o que você tenha ou qual sua situação financeira, você será atendido imediatamente, sobretudo em situações de emergência. Não existe falta de vaga, nem material e nem falta de vergonha na cara.

Apesar de ser um setor que vive fazendo reivindicações/greves, uma vez que também tem os seus problemas. A diferença é que problemas na saúde israelense é um médico trabalhando 2 horas a mais do que deveria ou não conseguir marcar uma consulta em 24 horas, não é uma pessoa que infartou e foi transferida 3 vezes e morreu a caminho do quarto hospital porque ninguém quis ou pode atender, nem uma mãe que vê o filho morrer porque o balão de oxigênio está vazio ou porque o CTI do hospital está em obra há 8 meses. Problema é uma questão conceitual, realidade não.

Educação Pública de Qualidade - Quase 100% das escolas de Israel são públicas. As poucas escolas privadas que existem possuem normalmente alguma característica especial, ou são religiosas, ou são para estrangeiros (tipo escola americana), então por razões óbvias as escolas daqui tem qualidade. Nesse quesito não existe filho de deputado, de ministro, de médico ou faxineiro. Todos frequentam as mesmas escolas e têm acesso ao mesmo tipo de educação. E a escola pública é para todos, mesmo para estrangeiros de passagem por aqui, uma vez que as escolas particulares são extremamente caras. Educação é obrigatória em Israel, a partir dos 5 anos.

Qualidade dos Alimentos - Fiscalização super rigorosa em relação a todo alimento produzido dentro e fora de Israel. Uma das coisas mais sérias desse país. Não estou me referindo a fiscalização religiosa (para obtenção/manutenção do cashrut), mas à vigilância sanitária em si.
Uma coisa bastante curiosa em Israel é que nenhum produto dura tanto tempo quanto no Brasil. Os aditivos químicos e conservantes são muito controlados. Carnes e frangos, quando comprados resfriados, não duram mais do que 3 ou 4 dias na geladeira, mesmo se você os congelar em casa.
Claro que enlatados, congelados e ovos duram bastante, mas carnes, laticínios e frios em geral duram bem menos que o padrão.
Os produtos são sempre muito frescos em Israel. Essa foto foi tirada no Aroma Café

Assistência do Governo - Para quem vem da América do Sul (e nesse caso eu não faço exceção a país nenhum) a sensação de estar ou poder ser amparado pelo governo de maneira real no momento em que se perde um emprego ou num momento difícil pelo qual qualquer pessoa pode passar é realmente muito tranquilizador. Sem entrar muito em detalhes, se não teria que escrever umas 15 páginas, Israel possui um seguro desemprego compatível com o seu salário enquanto você estava empregado por alguns meses, uma série de licenças remuneradas e uma aposentadoria digna e compatível com a sua realidade de vida.

Sem falar em cursos de capacitação ou aprimoramento pagos quase em sua totalidade pelo governo e em assistências temporárias a pessoas em situação temporariamente especial, como Olim por exemplo. Não dá para explicar item por item porque tudo é muito caso a caso e depende de uma série de fatores (como tempo em Israel, tempo em que a pessoa ficou trabalhando sem pedir algum auxílio, se possui filhos, idade, nível de escolaridade, quantas pessoas possuem a família, quantas trabalham etc). Mas na média a assistência prestada é de qualidade.

Estabilidade Financeira do País - É fato que Israel já teve seus problemas econômicos, mas há pelo menos 20 anos é um país bastante estável, economicamente seguro e sustentável , tanto assim que em Israel  a tal crise mundial, bateu na trave, passou raspando e foi embora. Atravessamos firme e seguimos de vento em popa.

Facilidade em se Arrumar emprego - E justamente por causa dessa estabilidade financeira, é muito difícil ficar desempregado em Israel, obviamente, desde que você esteja aqui plenamente legalizado ou tenha nacionalidade israelense. E evidentemente, desde que você tenha reais condições de batalhar pelo emprego ao qual você se propõe. Aceite quem você é (suas qualidades e aptidões ou falta delas) e aí sim, não faltará emprego. Em alguma área, seguramente, você irá encontrar.
Para quem tem dúvidas a respeito desse assunto vale a pena dar uma lida no post: Programa de Imigração e trabalho em Israel.

Não Discriminação em Relação a Quem Nasce Fora de Israel - Entendam bem o tópico. Eu não estou dizendo que não exista discriminação de nenhum tipo em Israel, só se eu fosse louca para fazer uma afirmação dessas. O que não existe é discriminação com relação a quem nasceu em outro país e veio para cá porque tem nacionalidade israelense (ou ao menos direito a ela). Essa pessoa, por essa razão não enfrentará nenhum tipo de discriminação. Israel é um país construído com as mãos e o suor de quem nasceu fora daqui. A grande prova disso está no nosso atual primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, que é o primeiro da história nascido em Israel, todos os outros nasceram fora, porém obviamente todos tinham direito natural à cidadania israelense.

Não sejamos hipócritas, discriminação é senso comum. Todo mundo sabe que tipo de gente é mais ou menos discriminada em qualquer lugar do mundo e em Israel isto ocorre da mesma forma e pelas mesmas razões.

Se alguém te olhar torto em Israel é porque você tem alguma característica genética ou comportamental que a pessoa não aprova, ponto final, essa é a história. Porém, em Israel, como na maioria dos países civilizados, discriminação é crime, é feio, é politicamente incorreto, logo é algo muito velado, muito discreto, e em regra no dia a dia não se percebe nada.

Nenhum país é perfeito, Israel também não é. Mas sinceramente e apesar de tudo, eu acho que se aproxima bastante da perfeição em termos de qualidade de vida e do que se espera de um país.

Update: Para as pessoas com problemas severos de interpretação de texto:
O Netanyahu foi o primeiro primeiro-ministro a nascer após a criação do Estado de Israel, já que ele nasceu em 1949. Os outros que porventura nasceram na região que hoje é Israel, durante o então Mandato Britânico na Palestina ou ainda durante o Império Turco-Otomano foram pessoas  que nasceram com outras nacionalidades, mas como eu disse acima, tinham direito natural à cidadania israelense (obviamente, depois da criação do Estado de Israel em 1948)..

Dizer que estas pessoas só porque nasceram na região da Palestina eram israelenses é o mesmo que afirmar que os índios tupi-guarani nascidos em 1200, no território que hoje é o Brasil, já eram brasileiros. Por favor, né?

55 comentários:

  1. Oi, Yaheli. É desta forma que eu consigo olhar Israel, nao que eu ache que deve ser tudo perfeito aí mas comparando desvantagens X vantagens e em relação á outros países Israel prá mim é imbatível e eu amo este senso de justiça daí e esta valorização da vida humana tão difícil aqui . Tenho aprendido muito com teu blog e até parece que Israel se tornou familiar para mim e me sinto hoje em dia mais realista do que antigamente pois só conhecia a parte religiosa tanto nos costumes quanto na alimentação e agora já conheço bastante mas te confesso que Israel sempre me emociona e tenho motivos bem profundos para isto.muito obrigado Yaheli por este conhecimento que tu tens nos proporcionado,talvez tu nem saiba como isto é importante para nós que nos identificamos e amamos este lugar onde o Eterno Bendito Seja estabeleceu Seu Nome. Quando puderes tu posta sobre Arad? tenho muitra vontade de conhecer esta cidade.Beijos com carinho. Carmen.

    ResponderExcluir
  2. Que legal, fico tão feliz com esse tipo de depoimento.

    Quando eu comecei a escrever esse blog eu pensava em escrever ele por apenas um ano, mas jamais esperei que ele fosse ter a repercussão que teve e tem.

    Quando o blog completou um ano, no mês passado, pensei em me despedir, mas não dá, não tem como, não posso deixar tanta gente legal que eu conheci através do blog e gente que nunca falou comigo, mas que eu sei que mudou a maneira de ver Israel.

    Esse era objetivo, informar, educar e mostrar o verdadeiro Israel, sem ser por apenas um único prisma.

    Sabe que nem me ocorreu escrever sobre Arad e Massadda?

    Aliás acho que também não escrevi sobre o Mar Morto que é junto, depois vou conferir.

    Com certeza é uma paisagem de Israel que está faltando por aqui, além de Haifa que eu também ainda não fiz.
    Vou fazer sim!!!

    Super obrigada pelo carinho.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Belo trabalho. Gostei muito. Boa sorte.

    ResponderExcluir
  4. Seu depoimento só demostra algo que já havia constatado, Israel é um país sério e que sabe tratar com dignidade os seus cidadãos. O Brasil tem muito que se espelhar neste país.

    Um dia chegaremos lá, ao povo aprendeu a se indignar com o estado de coisas em que se encontra o país. Tenho esperanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil ta se espelhando no Irâ isso sim.

      Excluir
    2. Também torço e tenho esperanças de que o Brasil aprenda o real significado que é democracia e respeito ao próprio povo.

      Abraços aos dois.

      Excluir
  5. Adorei as informações! Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  6. Tem como não amar e respeitar? =)

    ResponderExcluir
  7. CARA YAHELI, AMEI SEU ARTIGO, E CONCORDO COM VOCE EM GENERO, NUMERO E GRAU !!! ISRAEL EH MINHA SEGUNDA PATRIA!!!
    AINDA ESTOU ESPERANDO SUA VISITA....NAO VOU DESISTIR!!!!rsrsrsrsr.....

    UM ABRACO....
    MARIA ZAHER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas não é para desistir mesmo,não!

      Qualquer hora eu dou um pulinho aí na sua casa. Eu prometo!

      Beijão Vizinha! :)

      Excluir
  8. Salve, Yaheli!

    Como eu já disse anteriormente, estou sempre aqui a ler os posts. A maneira que tu escreves é muito confortável p/ ler.

    Continue sempre colocando ótimas postagens, hein!
    Abçs!!!!

    ResponderExcluir
  9. Yaheli, sei que não tem a ver com esse post, uma uma dúvida sobre o hebraico: Não existe uma letra equivalente ao "j".

    É que nas músicas que eu ouvi, e em algumas outras ocasiões, o que tem som de J vira "G" Tipo "original" -> orguinal, Argentina -> ArGUENtina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marco,

      Pergunta inteligente dá gosto de responder.

      Parabéns pelo ouvido! De fato, como som natural não existe J em hebraico.

      Nós temos sim, no hebraico atual, formas de representar tanto o J de Jogo, como o J de Joe (do inglês), utilizando o Zain e o Gimel apostrofados, respectivamente. Mas isso é apenas um recurso gráfico, usado para escrever palavras estrangeiras.

      Então na prática, nas palavras do dia a dia fica tudo GUEográfia, GUEometria etc.

      Aliás isso vale para muitas palavras de origem árabe também, por exemplo camelo em árabe é Jamal e em hebraico é Gamal e assim por diante. :)

      Abração

      Excluir
    2. Hmm, obrigado pelo esclarecimento.
      Outro dia eu estava lendo algo sobre Jihad Islâmica (nada a ver com hebraico, Israel, rss, mas me surgiu esta duvida!

      Todah Rabah!

      Excluir
  10. Shalom Yaheli.

    Peço desculpas, mas dessa vez não tenho como comentar seu post. Não que eu não queira, mas é que me faltam palavras. É algo que se sente, mas não sei como escrever. Mas no fundo acho você também sabe o que sinto.

    Sobre o que você disse no outro comentário acima "Quando o blog completou um ano, no mês passado, pensei em me despedir...", eu sei que é difícil arrumar tempo e tal, mas acho que você tá ajudando muita gente (eu incluso) com suas dicas, que são muito importantes. Mesmo que não possa escrever 2x por semana, ao menos escreva 2x por mês, mas não abandone essa sua obra prima.

    Quem sabe no futuro dá até um livro !? Quero o meu autografado (e com desconto ... hahahaha).

    Shabat Shalom.

    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel,

      Não sei se você sabe, mas você foi uma das primeiras pessoas a comentar aqui no blog e suas perguntas e colocações me ajudaram muito a entender o que as pessoas pensam e a conduzir o estilo do blog.

      E hoje você se torna a primeira pessoa a verdadeiramente me emocionar com um comentário. Bobo isso, né? Eu sei... :)

      Não abandonarei o blog, pode deixar. E se um dia ele virar livro, o seu é de presente.

      Obrigada viu?
      Abração
      Shabat Shalom!!!

      Excluir
    2. E o velho Shlomo acaba tendo que comprar o livro por si mesmo. Que barbaridade.

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkk.
      Abração Shlomo! :)

      Excluir
  11. Eu também quero um livro, e vai ser tão bom que eu pago integral! Vale a pena! Um blog de qualidade e esclarecedor vai trazer um ótimo livro de qualidade!

    ResponderExcluir
  12. sou sidiney quero morar aicom minha familia e possivel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá uma lida nesse link:

      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2013/04/programa-de-imigracao-e-trabalho-em.html

      Excluir
  13. Olá Yaheli, meu nome e Silvana e achei seu blog na internet por acaso. Achei muito interessante e li variass coisas! Estive em Israel em dezembro/2012 em uma caravana turística. Amei o lugar e pretendo voltar. Uma coisa que nao me satisfez muito foi a culinária, acredito por nao estar habituada mesmo. Li em seu blog a respeito de comida que nao encontraremos em Israel como uma lasanha, por exemplo, por misturar alimentos que nao seriam permitidos. Pergunto: existem restaurantes italianos, por exemplo? Pizzarias? So comi em hotel e restaurantes indicados pelo guia, mas mcdonalds sei que tem. Comi em Massada. Então o q vc escreveu me deixou meio confusa... Poderia me dar dicas de restaurantes? Grata!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anonima,

      Claro que tem restaurante italiano em Israel, pizzaria, mc donalds etc.

      O que acontece é que geralmente, mesmo em comidas em italianas não existe mistura de carne e queijo, então lasanha, como a gente conhece no Brasil é uma raridade, lasanha aqui normalmente é com algum molho e queijo.

      Mc Donalds, os que são casher (norma religiosa) também não misturam esse tipo de coisa, portanto vc não vai encontrar o Big Mac é sem queijo e não vende sorvete.

      Mas também tem mc donald's normal que vende tudo, depende muito da localização da loja.

      O mesmo vale para as pizzarias há pizzarias que seguem normas de cashrut outras não. O Domino´s Pizza por exemplo, que é enorme, não segue, então lá tem pizza de calabresa, peperoni etc.

      Eu falo um pouco sobre isso, nesse post:
      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2013/03/comida-casher-e-habitos-alimentares-de.html

      Abraços

      Excluir
  14. Oi, Yaheli.

    Olha eu aqui novamente. Bom, aproveitando que o post fala sobre as vantagens de morar em Israel... Estava pesquisando algumas coisas aqui, e achei umas notícias de que imigrantes africanos (Sudão e Eritréia) estavam sendo um problema para o Estado de Israel, e que houve até uma manifestação em 2012 contra os mesmos. Foi só algo passageiro, ou isso realmente é um caso que tem gerado polêmica?

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/05/presenca-crescente-de-imigrantes-africanos-gera-polemica-em-israel.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marco,

      Nossa, como destorcem as coisas no Brasil. Não sabia que era tanto.

      Primeiro a reportagem fala em 400 mil imigrantes ilegais, mentira, eles eram cerca de 60 mil.

      E sim, ficaram aqui mais de 10 anos (a grande maioria) por conta dessa coisa de serem refugiados. Eles tinham problemas religiosos no país deles. Assim que o Sudão do Sul virou país, Israel deportou uns 80%/85% deles. Não se vê mais nenhum pelas ruas, muito difícil.

      Sim, eles sempre foram um problema em Israel. Os poucos crimes cometidos em Israel eram sim associados a eles.

      Outro dado mentiroso da reportagem é falar que:

      Segundo o departamento de pesquisa do Parlamento israelense, no entanto, o índice médio de criminalidade entre o total de imigrantes em situação irregular é de 2,04%, enquanto o índice na população geral é de 4,99%.

      Primeiro que os dois maiores crimes cometidos em Israel são perturbação da ordem e violência física motivada por discussão, esse são os dois crimes mais cometidos pela população geral e por eles o crime mais cometido é o furto e o roubo.

      E depois uma coisa é 4% em cima de uma população de 8 milhões, outra coisa é 2% em cima de um universo de 60 mil pessoas. É um número maquiado isso, não dá para comparar universos tão diferentes assim.

      Mas, com tudo isso, eu fui contra a expulsão deles de Israel (eu e grande parte dos Israelenses), simplesmente porque eles estavam aqui há muito tempo, muitos tinham filhos nascidos aqui, uma vida plenamente constituída, e obviamente, nem todos eram bandidos.

      Mas enfim, a maioria foi deportada, o governo pagou uma ajuda de custo para todos, nenhum foi embora de mãos abanando, mas foram para o Sudão do Sul que nesse momento é uma calamidade, para quem estava acostumado em Israel deve ser um choque muito grande. E é fato, o índice de roubos que já é bem baixo, reduziu drasticamente.

      Excluir
    2. Yaheli, obrigado novamente pelo esclarecimento.

      Quanto eu estive em Tel Aviv, fui durante a noite naquela praia perto do hotel Grand Beach, e tinha um grupo deles sentados num banco próximo a praia, e quando passei, ficaram me encarando. Confesso que senti um pouco de receio, mas como eu percebi que a praia estava bastante movimentada, e todo mundo na maior tranquilidade, nem dei bola. Sentei lá e fiquei olhando o mar, e observando os gatos andando pela praia, rsrs.

      Shalom!

      Excluir
  15. Olá, Yaheli
    Nao posso deixar de me manifestar em relação a sua confissão de quase desistência do Blog!
    Quando descobri o "Vivendo em Israel" o devorei em apenas algumas horas e sempre volto a reler algumas partes. Não me canso de elogiar seus posts e comentários.
    Vc tem me ajudado bastante no meu processo preparação para esta grande virada que estou prestes a dar em minha vida fazendo a Alyiah.
    Adoro a sinceridade com que vc se expressa e sua visão me ajuda a fazer um elo entre meu deslumbramento e a realidade.
    Parabéns e continue conosco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Pati, fico muito feliz em ajudar. Eu sei como é tomar essa decisão.

      Muito obrigada e não se preocupe, não vou parar! :)

      Beijão

      Excluir
  16. Olá,Yaheli Berlinski tuido bem?

    Tenho lido teu Blog e acho muito útil. Como vc também tenho um Blog www.coisasjudaicas.com, já no ar por 8 anos e com boa aceitação.
    Mas sempre falta algo para os leitores. Então segue minha proposta. Eu publicaria alguns dos teus textos que julgar relevantes para o Blog, e em contrapartida teria em todas as publicações o teu link. Isso ajudaria de sobremaneira teu Blog, uma vez que o meu Blog tem uma gama de leitores e seguidores, isso contribuiria para divulgar mais eu trabalho.
    Fico no aguardo do teu retorno


    Meu fraterno abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Sem problemas, dando o crédito e o link do blog pode publicar o que quiser.

      Abraços.

      Excluir
  17. Shalom Yaheli.

    Eu agradeço e digo que também fico feliz com suas palavras acima.

    Voltando ao post, você disse que: "...cursos de capacitação ou aprimoramento pagos quase em sua totalidade pelo governo...", teria como falar mais um pouco sobre isso ?

    E as faculdades ? É muito caro para quem ganha salário mínimo ou perto disso ? O governo paga ou ajuda nisso também ?

    E tem um comentário no outro post sobre o câmbio entre as moedas Real x Shekel x Dólar e por incrível que pareça é isso mesmo, é o Real mesmo que tá se desvalorizando, sem contar que piorou agora nesse semestre.

    Pra se ter uma ideia, no início desse ano a conta era algo assim: 1 Real = 2 Shekel.

    Hoje tá algo como: 1 Real = 1,5 Shekel !!!

    Quem tiver dúvidas, aqui vai o link oficial do governo, aonde é possível a conversão de várias moedas:

    http://www4.bcb.gov.br/pec/conversao/conversao.asp

    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel,

      Sim, eu sei que o real se desvaloriza, mas o shekel também está ser fortalecendo, isso que eu quis dizer, que na verdade estão acontecendo as duas coisas.

      Sobre as faculdades, ganhando salário mínimo esquece, é impossível, só se você conseguir uma bolsa.



      O governo paga faculdades e como tudo em Israel, isso também é muito caso a caso, mas em regra, o governo paga até os 23 e para quem ainda não tem curso superior. Mas, podem existir outras situações, tudo é analisar você, sempre. Aqui as coisas não são tão fechadas assim. Sempre existem milhões de possibilidades, basta você se enquadrar em alguma.

      E cursos de capacitação são mais caso a caso ainda. Muitos são apenas para quem tem pelo menos 3 anos de Israel,mas provavelmente, terá um para você hoje. Tem que checar. Isso não tem resposta.

      Respondi teu e-mail agora há pouco.
      Abraços.

      Excluir
  18. Mazal Tov, pelo post, cada vez mais conhecendo a cultura deste povo, em Novembro estarei novamente pisando nesta terra e passeando por ela de norte a Sul, Lehitraót

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pedro,

      Aproveito para te desejar desde agora uma e ótima viagem e uma excelente estadia aqui em Israel.

      Excluir
  19. Oi Ya .. amo cada post seu e me apaixono cada vez mais por Israel.. tive sorte de ter encontrado alguem como vc ...tão apaixonada quanto eu. Bjo querida

    ResponderExcluir
  20. P.S - Deixa pra escrever sore Massada quando eu for .. ai vamos juntas rsrs

    ResponderExcluir
  21. Oi Yaheli, a idéia do Gabriel é ótima , se tu escreveres um livro sobre o blog vai ser muito legal, já pensou? Quanta diversidade de opinião, de cultura e tudo o mais das pessoas que açessam o teu blog.Pensa com carinho nisto. Bjs. Carmen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente vocês são muito fãs de Israel, mesmo né? Dá gosto escrever aqui. :)

      Excluir
  22. ôpa, eu escrevi errado, é acessa e não açessa, kkkkkkkk.carmen

    ResponderExcluir
  23. Shalom Yaheli. Sou eu de novo ... e ai hem .... a idéia do livro tá bombando ... heheheh ...

    Bom me diz uma coisa, pelo que eu me lembre foi você mesma que traduziu seu currículo, certificados, diplomas, etc.

    Mas qualquer um pode fazer isso ? Ou precisa ser um tradutor juramentado ou indicado pelo governo ?

    Carteira do CREA vale alguma coisa aí em Israel ?

    Todá rabá.

    Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não fui eu que traduzi os meus diplomas, até porque na época eu não tinha hebraico suficiente para isso. Mas tem tradutores oficiais, sim.

      Carteira do CREA não serve para nada, a não ser para comprovar aqui o tempo que você tem de atividade, mas em regra não terá nenhum valor.

      Abraços

      Excluir
  24. Oi, Yaheli, fico feliz por constatar que você está feliz em nosso país. Uma pequena observação: antes de Bibi, Yitzhak Rabin já tinha sido o 1º sabra a ocupar o cargo de Primeiro-ministro. Bjs!

    ResponderExcluir
  25. Oi JO,

    O Rabin, nasceu em 1922, antes da criação do Estado de Israel. O Netanyahu é o primeiro nascido de fato cidadão israelense, já que nasceu em 1949.

    Mas ainda assim, nascido sabra o Rabin não foi o primeiro a se tornar primeiro-ministro, o primeiro foi o Yigal Allon, que nasceu em 1918 e foi primeiro-ministro em 1969.

    Abração

    ResponderExcluir
  26. Yaheli, aproveitando a sugestão da Carmen, que tal um post sobre Eilat? (fiquei morrendo de vontade de conhecer esta cidade) vi algumas fotos, achei linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marco,

      Pensei que eu já tinha escrito sobre Eilat. Na verdade acho que já escrevi e não publiquei, se já estiver escrito eu publico essa semana.

      Uma cidade linda realmente.

      Abraços

      Excluir
  27. Shalom Yaheli !
    Amei o post, amei o blog, ta de parabens !!!
    Sou brasileira tbm, mas sou israelense tbm, ja morei em Israel, inclusive fiz exercito.
    Me orgulho de fazer parte dessa pequena nacao! Amo Israel de verdade!
    Hj estou no Brasil ha quase 2 anos, mas ja caindo de saudades querendo voltar.
    Na verdade foi mais facil me adaptar em Israel, do que me readaptar no Brasil, muito complicado aqui.
    Beijo enorme !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino.

      Beijão Lorena, obrigada por comentar. :)

      Excluir
  28. Shalom Yaheli.

    Eu sei que você sempre fala que ai em Israel tudo está calmo mesmo com os problemas na vizinhança.

    Mas as notícias dizem que Israel convocou hoje os reservistas e voltou com a distribuição de máscaras.

    Sem contar que Inglaterra, França, EUA (OTAN) já estão com os seus navios posicionados e as bases na Turquia, Jordânia e Chipre estão prontas pra começar o combate.

    Como estão as coisas por ai?

    O que o povo ai anda comentando?

    Shalom e que tudo acabe bem.

    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ai
      Não vou escapar de fazer um post sobre isso? Se o sono deixar, hoje mais tarde eu faço.

      Não tem nada acontecendo por aqui a não ser notícias a mais. A distribuição das máscaras é rotina nunca deixou de existir, tanto é que eu recebi a minha dois anos atrás, eu já postei o vídeo sobre isso.

      Eu explico melhor no post de logo mais, ok? :)

      Enquanto isso vou adiando seu post sobre as promoções, mas também é bom que coloco ele mais atualizado. rsrs

      Abração

      Excluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...