quinta-feira, 4 de julho de 2013

Uma Tradição Construída Sobre Vinhos

Muito pouca gente sabe, mas é praticamente impossível dissociar a história da humanidade do surgimento e consumo do vinho. Para muitas civilizações o vinho é um claro marco de civilização, comunhão e devoção.
Não há religião antiga em que não se faça menção ao vinho e o judaísmo não é exceção.

Supostamente os vinhos apareceram primeiro aqui pelo Oriente Médio ou adjacências. Há uma forte tendência a se acreditar que a palavra hebraica yain (יין) tenha dado origem ao vocábulo vinho na maioria dos idiomas wine em inglês, wein em alemão etc. Pelo menos é o que se diz aqui em Israel.

Os vinhos surgiram provavelmente antes da invenção da escrita, o que é perfeitamente compreensível, afinal de contas primeiro se bebe depois é que se tem histórias para contar, né? rsrs.

Enfim, história à parte, o fato é que Israel produz vinho desde muito antes de se tornar país, as principais vinícolas do país são em sua maioria do final do século XIX e início do XX.

As pessoas têm, não sei porque razão, a ideia de que todo vinho produzido em Israel é doce e destinado ao Kiddush (ritual de consagração religiosa usado por judeus e cristãos), não é nem perto disso.

Apenas 10% dos vinhos israelenses são destinados a isso, o resto é vinho normal e desde o final dos anos 80 figura como um vinho de excelente qualidade no cenário internacional, segundo os especialistas é um vinho comparável, em termos de qualidade aos vinhos californianos.

Então vamos esclarecer as coisas: uma coisa é vinho casher (ou kosher), outra coisa é vinho destinado a Kiddush.



Vinho casher é aquele que atende às normas de cashrut, ou seja, é um vinho que até entrar nos barris é manipulado apenas por pessoas que guardem shabbat e nunca num sábado ou feriado religioso, não é acrescido nenhum tipo de produto animal a estes vinhos (o que faz com que eles sejam muito populares entre os vegetarianos) e todo equipamento ou  material utilizado só pode ser usado em produtos também casher.

Não há nenhuma outra diferença na maneira de fermentar o vinho.

Alguns tipos de vinho produzidos aqui (esses estão entre os melhores do país).
Vinho de kidush é vinho tinto e doce (e obviamente, casher também), normalmente considerado de qualidade inferior (eu gosto, mas sei que para os puristas é considerado ruim).

E engana-se quem pensa que vinho casher só se produz em Israel, grande parte dos vinhos produzidos no mundo é considerada casher. Só que algumas normas para os vinhos produzidos fora de Israel são diferentes, menos rigorosas.

E não, nem todo vinho produzido em Israel é casher. Eu confesso que eu nuca vi vinho israelense que não fosse casher, porém apenas 90% dos vinhos produzidos aqui são casher.

Em Israel há cerca de 250 vinícolas que além de produzirem vinhos, a maior parte delas também é aberta ao publico para degustação de vinhos ou de queijos e vinhos, obviamente mediante pagamento. Não é caro, mas o valor depende dos programas escolhidos.

Um exemplo de como isso é feito:

A Carnel é uma das mais famosas marcas de vinho israelense .


E como o governo incentiva e muito a produção e melhoria da qualidade do vinho nacional, em Israel se produz cerca de 55 milhões de garrafas de vinho por ano, das quais cerca de 38 milhões são destinadas à exportação. Todavia, Israel também importa uma média de 22 milhões de garrafas por ano, apesar do vinho nacional ser considerado muito bom, é forte o consumo de vinho europeu, principalmente espanhol e italiano.

E a grande curiosidade de todos vocês. Vinho é barato em Israel? Sim, vinho é super barato em Israel.

Uma garrafa de vinho de Kiddush fica na faixa de ₪15 a ₪17 shekels (algo como R$ 10,00) e um vinho normal de mesa, tanto nacional como importado fica por volta de ₪30 shekels (aproximadamente R$ 18).

Vinho faz parte da cesta básica do Israelense e barato do jeito que é, impossível não ter em casa, sempre:
A média de consumo de vinho em Israel é de cerca de 8 litros per capita. 


17 comentários:

  1. ótimo amiga , quando eu for , vc vai me levar numa vinicola :D

    ResponderExcluir
  2. Oi, Yaheli, nós estávamos aqui em casa comendo pizza e tomando vinho , vim dar uma olhadinha no teu blog e me deparo com este post sobre vinhos, tudo de bom e me tirou várias dúvidas sobre vinhos israelenses, os que comprei aqui no bom fim são caros mas muito bons mas são todos casher e adocicados então provavelmente sejam pra kidush e os não caher e tinto sêco, não têm no bom fim mas os da serra gaúcha são ótimos também.Obrigado por mais este post maravilhoso,isto tudo nos faz irmos conhecendo tudo sobre Israel e me faz sentir mais próxima daí. Obrigado também por isto.Beijão. Carmen

    ResponderExcluir
  3. Oi Carmen,

    Se você lembrar, só por curiosidade, me diga as marcas dos vinhos israelenses que você encontra por aí e os preços e eu te digo quanto eles custam por aqui.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Yaheli, o seu BLOG é sempre uma surpresa maravilhosa, pleno de informações não só sobre Israel em si, mas pelas dúvidas que são esclarecidas, mas principalmente pela eliminação de falsas fantasias que existem em torno de Israel.
    Parabéns. José

    ResponderExcluir
  5. Shalom Yaheli.

    A guerra civil na Síria e as convulsões no Egito tem afetado Israel de alguma forma ?

    Temos informações aqui de combates no Sinai e que o Líbano pode ser envolvido nessa confusão toda pela Síria.

    Por ai ta tudo calmo ?
    O que se falam nos jornais ?
    As pessoas tão preocupadas ?
    etc

    Shalom;
    Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel,
      Não, por aqui tudo em paz.

      Para nós o Egito é notícia internacional do mesmo jeito que para vocês.

      Claro que ocupa bastante tempo dos telejornais, afinal é regional, mas não existe nenhum tipo de alarde ou preocupação, é apenas notícia.

      O que se fala é que provavelmente vai estourar uma guerra civil no Líbano também. No mais discutem se o exército do Egito estaria usando de muita violência e sobre a questão dos direitos civis, só chove no molhado mesmo, sabe?

      Abraços

      Excluir
    2. Obrigado pelas informações.

      Resumindo, enquanto eles se matam, Israel continua a evoluir ... e la nave va ...

      Shalom e boa semana ai pra vocês;

      Gabriel

      Excluir
  6. Oi Yaheli. No bairro Bom Fim o vinho casher mais barato é o Guershen que custa 16 reais e os Israelenses em torno de 30 reais mas o nacional tambem é muito bom e pra nós está bem em conta.Acredito que é mais ou menos o mesmo preço daí né? Neste friozinho que está fazendo aqui é uma boa pedida.Aí no verão se toma vinho também? Aqui só branco seco gelado e eu particularmente só gosto do tinto sêco.Beijos.Carmen.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, na verdade é o dobro do que custa aqui, mas eu achei que fosse mais caro aí no Brasil. rsrs.

      bjs.

      Excluir
  7. Ola Yaheli, estou decidindo ir passar 3 meses e meio em Israel (de setembro a dezembro). Sou brasileira, tenho 20 anos, vou trancar minha faculdade no proximo periodo devido a uma mudança de curso, e namoro um israelense desde março(historia longa). Ele fica no Brasil ate agosto, e estou pensando em ir encontra-lo em setembro! Eu não sou judia, não sei absolutamente nada de hebraico, mas falo ingles e espanhol bem (eu e ele só nos comunicamos em ingles, inclusive... mas sendo sincera e consciente de mim mesma, estou longe de ser fluente!!). Você sabe algum curso de hebraico em Tel Aviv que seja pago (ou nao), ou alguma aula particular (pode ser voce, inclusive hehe)?? pode ser em ingles!! e outra coisa, voce sabe como funciona o visto para quem nao é judeu? eu tenho nacionalidade europeia, mas li em algum post seu que isso na verdade nao faz diferença ne. E mais, tendo visto provisorio é possivel trabalhar?? eu e ele morariamos esses 3 meses e meio juntos em Tel Aviv, mas eu precisaria de um emprego para me manter na cidade (ele mesmo me disse que barman ganha um dinheiro legal aí!!). Estou muito disposta a me dedicar muito a aprender hebraico, e como vou morar com ele, sei que ele pode me ajudar muito... mas voce acha que em 3 meses e meio eu ja consigo pelo menos ter um conhecimento bom sobre a lingua? meu foco seria conversação mesmo!! sempre me encantei pela cultura judaica, e conhece-lo aflorou meu interesse... estou animada para os feriados de setembro, e ver como tudo aí flui... Muito obrigada desde ja!!! Beijos, Gabriela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gaby,

      Tudo bem?
      Primeiramente seja muito bem-vinda a Israel.

      Existem dezenas de curso de hebraico em Tel Aviv, mas no seu caso todos terão que ser pagos.
      Depois com calma a gente conversa sobre eles, porque existem vários mesmo.

      Eu até poderia te dar aula de hebraico, o problema é que não sei como minha vida estará em setembro, provavelmente vou vir trabalhar aqui no norte e provavelmente não daria tempo, mas se quiser, podemos ver isso mais para frente.

      Com relação ao visto, como você tem um namorado, ele vai te dar uma carta-convite, com essa carta você consegue o visto facilmente. Só que fácil não significa rápido.

      Então, de verdade esqueça a possibilidade de trabalhar nos primeiros meses. Até que seu visto de residência saia você não poderá trabalhar.

      Normalmente esse visto, pelo que dizem leva de 4 a 6 meses e sem ele você pode ficar aqui, estudar, pode tudo, só não pode trabalhar.

      E não, em 3 meses o máximo que você irá conseguir em hebraico é aprender alguns cumprimentos, os nomes de alguns alimentos e objetos e talvez conseguir ler algumas placas.

      Lamento, mas o processo do hebraico é lento no começo. Mas de fato, tendo um namorado israelense o processo para você pode ser um pouco mais fácil.
      Mas realisticamente falando, para você conseguir se virar um pouco com alguma desenvoltura, eu diria pelo menos uns 6 meses, isso se dedicando aos estudos.

      Se quiser me add no facebook, talvez seja melhor conversar por lá.

      https://www.facebook.com/yaheliberlinski

      Enfim, qualquer outra dúvida só falar.

      Beijão e muito boa sorte.




      Excluir
  8. "Os vinhos surgiram provavelmente antes da invenção da escrita, o que é perfeitamente compreensível, afinal de contas primeiro se bebe depois é que se tem histórias para contar, né? rsrs"

    Hahahaha. Boa!
    E esse calorzinho aí em Nazaré?
    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Shlomo,

      Há quanto tempo não te vejo por aqui.

      O calor está matando, ninguém merece esse verão!!! Mas tudo bem, daqui um mês e meio isso acaba. :)

      Abração

      Excluir
  9. Oi, Yaheli,eu me chamo ibrahim e tenho uma adega de vinho de alguns paizes só que eu não tenho vinho israelense ,eu amo os vinhos de israel e gostaria de telos na minha adega,vc tem para vender ou pode me indicar um aqiu em São paulo.Omeu e-mail é khalifascozinhaarabe@gmail.com cel:011 983364122,aguardo resposta,quero comprar em quantidade e melhor preço ;obrigado e shalom alehem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamento, mas não vendo e não conheço ninguém no Brasil para indicar.

      Abraços

      Excluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...