sexta-feira, 7 de junho de 2013

Como Eu Aprendi Hebraico? (Dicas)

Quem acompanha o blog sabe que eu não costumo falar muito de mim, mas como nesse caso não tem jeito, também não vou desperdiçar a oportunidade, assim sendo, pega um suco, ajeita a luz e senta porque a história é longa!

Uns 15 dias antes de vir para Israel eu comprei um manual de hebraico (livro + áudio) e foi uma compra incrível porque eu não sabia nada e consegui desaprender o que eu não conhecia. Portanto, primeira dica, muito cuidado com os pseudo manuais e pseudo professores espalhados por aí. Enfim, mas pelo menos eu aprendi as letras por ele.

Então eu cheguei em Israel conhecendo apenas as letras de imprensa, nem sabia que existiam as letras cursivas.

E chegando aqui o meu caminho foi o de todo mundo, entrei para o ulpan esperando entrar para um curso super puxado e descobri que ele não passava de um cursinho estilo senac versão hebraico. O ulpan padrão é uma espécie de triturador de lixo mental. Ele coloca todo mundo no mesmo balaio, ou seja não existe nenhum tipo de diferenciação entre as pessoas, logo você é nivelado por baixo (super por baixo, diga-se de passagem!!!). O objetivo deles é que você saia de lá achando que fala qualquer coisa, confiante disso, então se você consegue formar e escrever cinco frases infantilizadas com dois meses de curso, eles passam a te tratar como se você tivesse descido do Olimpo.

Eu diria que o ulpan é um bom curso para quem sofre de problemas de auto-estima, mas para quem quer aprender um idioma, definitivamente é fraco. É fraco, mas é vantajoso terminá-lo.

Com dois meses de ulpan eu tinha conseguido entender que toda estrutura do hebraico se resume nos verbos e na raiz dos verbos.

Raiz? É, você precisa aprender a separar as raízes dos verbos e a conhecer o significado delas. Fazendo isso e conhecendo os grupos verbais que são 7 nos 3 tempos (passado, presente e futuro). Seus problemas terminaram. O resto passa a ser adquirir vocabulário.

Porém.... É extremamente difícil conseguir compreender os grupos verbais da forma como ele é passado no ulpan, embora tudo tenha lógica, essa lógica não é dada, eles apenas jogam verbos perdidos (e não os colocam no grupo a que realmente pertencem, eles subdividem os grupos reais e dão apenas 5). Eu concordo que não é simples passar esse conhecimento para quem está do zero em hebraico, mas seria muito mais fácil se as pessoas entendessem a lógica desde o começo, ao invés de ficarem tentando decorar meia dúzia de regras verbais perdidas. Porque a partir desse entendimento você lê qualquer coisa, já que as regras de leitura e ortografia são formadas com base em cada grupo verbal.

Então, como eu não curto a ideia de ficar sendo tratada como retardada, com dois meses eu larguei o ulpan. Comprei uma gramática com as explicações em inglês e decidi que eu voltaria para o ulpan quando tivesse compreendido os grupos e os tempos verbais.

Essa foi a primeira gramática pela qual eu estudei:


Junto com ela, eu também comprei um dicionário e um livro de verbos, tudo com tradução para o inglês:

É como eu sempre digo, Israel sem inglês para quem não fala hebraico é um navio afundando no Pólo Norte.

Resumo da história, estudado e compreendido grupos e tempos verbais, voltei para o ulpan uns 8 meses depois e tive sorte, consegui ir para um ulpan diferenciado, mas que só foi vantajoso porque eu já conhecia o que seria dado, se não seria impossível, não era um ulpan para quem estava do zero. 

Esse foi o livro desse meu segundo ulpan (do primeiro não vale nem a pena mostrar):
Livro Alef.
Esse sim, é um excelente livro, destinado, verdadeiramente, à educação de adultos e com um nível mais puxado. A autora dele se chama Meira Ma'adia e é excelente, uma super especialista e lá para o fim do ulpan eu acabei comprando a coleção toda, que incluem:

Bet (intermediário - Lilás) e Gímel (avançado)

Livro de Verbos (vermelho.) e o de expressões idiomáticas (ambos de nível intermediário)

E aqui os dois mais avançados: O de ortografia e de história e cultura judaica (esq.)

Um dos livros por dentro (Bet).
E aí que eu terminei o ulpan, escrevendo bem, conhecendo gramática super bem, entendendo medianamente e falando muito pouco. Mais uma vez eu digo, ulpan ajuda muito pouco e se você não fizer seu "dever de casa" muito bem feito, vai ser mero tempo perdido.

O que eu fazia durante o ulpan e também depois?

Para aprender a escrever:

Podem dizer o que quiserem, podem me xingar à vontade, eu acho que hebraico é um idioma que requer uma extrema dedicação, muita disposição e uma incrível imersão. Por isso eu digo e repito, eu acho praticamente impossível aprender hebraico sem morar em Israel e sem se desligar do mundo. Sua vida tem que se resumir a hebraico e a estar em Israel. 

Além disso, na minha opinião hebraico é um idioma que se estuda à moda antiga, então é muita cópia, muita repetição, muito dicionário e muito exercício de fazer frases e responder perguntas. Foi assim que eu estudei e para dizer a verdade estudo até hoje, só que em outro nível.

E para aprender a falar: 

Aprender a falar e treinar o ouvido de verdade foi sofrido, mas basicamente eu ouvia muito rádio (notícias) e muita TV. Eu assistia de tudo desde de notícias até programa sobre a reciclagem dos anéis de latinha, fazer o que? E eu sou uma pessoa que eu odeio televisão, mas era necessário. Uma coisa que alavancou muito meu hebraico, por incrível que pareça foi o Big Brother. 

E uma outra coisa que eu fazia era assistir o canal 23 que se chama Televizia HaHinurrit, que é a TV educativa de Israel, eles tem umas séries legais para quem estuda hebraico e também para quem estuda árabe. Tem outras coisas também, química, física, matemática, inglês etc. É um canal bem legal.

Vou deixar o link deles de hebraico, para quem quiser ver:

Os vídeos que têm lá, não são os mesmos pelos quais eu estudei, mas são da mesma série. Eu simplesmente decorava todos os diálogos e ficava repetindo. Aliás, a mesma coisa eu fazia com os textos dos livros, copiava, lia várias vezes em voz alta até decorar e depois repetia sem ler algumas vezes, por alguns dias cada texto do livro e cada diálogo do vídeo, você fica quase louco (ou louco mesmo! rsrs), mas funciona.

Eu sei que quando se fala em decorar chovem críticas, parece que você está maculando o sagrado direito de aprender. 

Mas compreenda um coisa: em primeiro lugar você não faz uma escolha entre aprender e decorar, você usa um como auxílio do outro; em segundo lugar, muita coisa que a gente acha que aprende na verdade foi decorada ao longo da vida (alfabeto, tabuada, dados históricos, capitais e até formas de comportamento, entre outros) e depois tem outra coisa, podem ficar tranquilos decorar não causa nem uma doença grave, não prejudica sua vida em nada e ninguém nunca morreu por decorar alguma coisa.

Se você chegou até o fim desse post, eu agradeço enormemente! rsrs. 

Eu sei que eu poderia escrever muito mais sobre isso, mas eu tenho minhas dúvidas se a maior parte de vocês vai ler isso até aqui. Então...
Mas, basicamente esse é o resumo da minha experiência com o hebraico!


95 comentários:

  1. kkkkk. difícil é não ler o post até o fim. Para quem gosta de Hebraico e/ou Judaísmo e tem curiosidade sobre a vida em Israel, é leitura obrigatória. Indispensável. Obrigado por compartilhar suas experiências, muito me enriquecem em cultura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, obrigada! Fico feliz que goste.
      Abração :)

      Excluir
    2. wow value pela dica canal23 youtube

      Excluir
    3. Yaheli...........Estou lendo seu blog a horas ,e ainda tenho muito que ler .Creio que vc ja tem o suficiente para editar um livro.

      Excluir
    4. Que bom que está gostando, tendo dúvidas, só escrever.

      Abraços

      Excluir
    5. Oi, Yaheli. O que você acha dos jornais com vogais(pontinhos) revistas em geral+ desenhos animados para complementar os estudos. Eu gosto muito de música também. Os jornais além do facilitador, que é a escrita com vogais, será que eles têm também um vocabulário mais accessível?. Bjs. obs. Que livros legais! Eu tenho o "501 verbos", sem ele fica dificil realmente. Só acho que ele apresenta poucos exemplos. Mas ele é realmente imprescindível.

      Excluir
    6. Oi Eliane,

      Jornais com pontinhos? Que jornal tem pontos? Pode ser até que exista, mas eu não conheço.

      Publicações com pontos são as voltadas para crianças. Existem até livros com histórias consideradas infato-juvenis que tem pontos, mas publicação adulta eu não conheço nenhuma.

      Quer dizer existem pontos em publicações religiosas, mas apenas nos textos religiosos que definitivamente não vale a pena para começar, são extremamente mais difíceis.

      Desenhos animados eu acho legal, mas para começar eu acho melhor os bem infantis tipo smurfs.

      De resto tudo ajuda música, rádio, tv, tudo vale à pena.

      Vou fazer mais uns textos sobre hebraico, sobre métodos de estudo, talvez te ajude.

      bjs.

      Excluir
  2. Oi,Yaheli.legal tambem este post e bem necessário mas um pouco desanimador.Talvez tu aches engraçado mas eu aprendo á falar e, nestas alturas do campeonato,prefiro dizer,se é que eu aprendo á falar alguma coisa é com hebraico transliterado para o portugues pelo youtube,com as pessoas falando ou cantando em hebraico.por incrível que pareça é mais fácil ,o difícil ,ou o mais difícil é a escrita mas eu continuo tentando do meu jeito desajeitado.Obrigado pelas dicas.Valeu. Beijão.Carmen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carmen,

      Eu confesso que nem sei ler hebraico transliterado, para dizer a verdade nem tento mais. No começo atrapalhava e depois de um tempinho você já não precisa mais.

      E tem outra coisa, com hebraico transliterado não se chega muito longe, você nunca vai poder ler um livro, uma gramática, nem uma placa de ônibus, nada. Vai aprender a repetir, mas jamais vai poder prosperar no aprendizado. Sem contar que existem regras diferentes de transliteração de país para país, logo as chances de que você leia algo e fique com a pronúncia errada na cabeça são enormes.

      Porém, eu acho também que método de estudo cada um desenvolve o seu, né? Se você acha que está funcionando, quem sou para dizer que não!

      Ah! Essa semana fui numa vinícola que é considerada a melhor de Israel, lembrei de você. rsrs Vou escrever sobre vinhos, tá? Só vai demorar um pouquinho, mas vai sair! :)

      bjs.

      Excluir
  3. Nossa! eu sou grande admiradora da cultura de Israel, acho muito bonito a língua, porém complexo aprender, esse é um dos lugares que amaria viver. Você mudou radicalmente de vida, fiquei curiosa porque de Israel, não sei se fez um post sobre, mas adoraria ler. Vi a notícia pelo facebook, curto sua página =) Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marilia,

      Eu vim para Israel basicamente pelo fato de ter nacionalidade israelense.

      Sim, eu já falei sobre isso em alguns posts, mas mais recentemente eu falei numa entrevista que eu dei para a revista Brasileiros Mundo Afora, se quiser dá uma lidinha lá:

      http://www.vivendoemisrael.blogspot.co.il/2013/05/minha-entrevista-revista-brasileiros.html

      Beijão

      Excluir
  4. Ler teu post foi um alívio!

    ResponderExcluir
  5. Eu sou a Marcella, professora de Hebraico Bíblico. Mas ainda sofro com Hebraico Moderno! Sem morar em Israel é realmente muito difícil. As pessoas não entendem o abismo que há entre o Hebraico Moderno e o Hebraico do Tanach. Vou compartilhar esse texto sim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato existe muita diferença. Eu diria que quem aprende o moderno e o desenvolve fluentemente consegue compreender o hebraico bíblico.

      Agora quem aprende apenas o hebraico bíblico, ainda mais fora de Israel, acho que tem realmente muita dificuldade.

      O Hebraico moderno é muito dinâmico e muito vivo, cheio de novas expressões e novas regras. É o mesmo idioma, mas é quase como se não fosse.

      bjs.

      Excluir
  6. Shalom Yaheli. Novamente um excelente post como só você sabe fazer.

    Essa sua dica sobre a "regra dos verbos e da raiz dos verbos" é muito importante, pois pelo visto ajudará a entender melhor e mais rápido o hebraico.

    Além disso, no post anterior você disse que "... uma vez que as palavras respeitam regras de formação e dentro do grupo a que pertencem terão sempre o mesmo som de vogal."

    Sabe aonde posso achar material sobre essas duas regras citadas acima ? Pois pelo visto entendendo isso, teremos um aprendizado mais fácil, um verdadeiro atalho.

    E sobre o Canal-23 sabe aonde podemos encontrar material de apoio pra ele ? Ou algum outro canal pra iniciantes zero km autodidatas ? Tentei procurar, mas cai em varios locais 100% em hebraico e fiquei muito perdido.

    Qualquer informação ajuda muito.

    Shabat Shalom;

    Gabriel.

    ResponderExcluir
  7. Oi Gabriel,

    Um bom livro para iniciantes é este que eu citei aí em cima "Hebrew with Pleasure", só que ele está todo em inglês. É um livro bem bê-a-Bá, mas ele mostra os grupos e os tempos verbais da maneira correta. Com certeza todos os livros que eu citei aqui, você encontra na Amazon.com.

    Infelizmente material relativamente bom para estudar hebraico só se encontra em inglês e em nível super iniciante.

    Ultrapassado esse primeiro nível você só encontra mesmo bom material (livro, vídeos, áudio, jogos etc) em hebraico.

    Infelizmente eu só descobri tudo isso que eu digo no texto quando passei a ler em hebraico.

    Gabriel, acredita em mim, ninguém mais do que eu conhece as dificuldades de aprender/estudar hebraico, se eu conhecesse qualquer material bom eu indicaria, mas para dizer a verdade, só conheço isso. E outra coisa, fuja de qualquer coisa em português, aprender errado é pior do que não aprender.

    Uma outra coisa que utilizei no começo foram os vídeos desse site:
    http://www.hebrewpodcasts.com/

    Mas de novo, são vídeos com as explicações em inglês e são para aprender a falar, eles não ensinam essa questão dos verbos. Mas, são excelentes para o ouvido e para entender algumas regras básicas de hebraico. O site é pago, mas não é caro, e você pode baixar todos os vídeos e apostilas para o seu computador, ou seja, mesmo depois que acabar o seu tempo de inscrição você fica com um material legal para estudar.

    Fora disso eu só conheço material bom em hebraico.
    Vou ver se eu consigo explicar o pulo do gato na leitura, sem conhecer estas regras, vou pensar nisso para um próximo post (mas não prometo, porque nem sei se eu sei como eu comecei a ler).

    Abração
    Shabbat Shalom!

    ResponderExcluir
  8. Shalom Yaheli, muito obrigado pelas dicas e não tenha pressa nos posts, o importante é que como sempre, sejam francos e de qualidade como você sempre faz, até porque sabemos o quanto está atarefada ai.

    Voltando ao assunto, devido aqueles problemas que te falei, só agora to conseguindo retomar o estudo do Inglês e sendo assim, tenho de seguir as etapas e o Hebraico fica mais pra frente, até porque será uma boa praticar o Hebraico utilizando o Inglês como ferramenta de interface.

    Em relação ao livro realmente só encontrei no exterior e até que o preço tá bom, uns US$ 40,00 . Porém fiquei na duvida pois tem um outro de mesmo título que vem com 2 ou 3 CDs e custa uns US$ 70,00.
    É isso mesmo ? Ou é outro volume ?

    Fora isso, ainda bem que você avisou pra não comprar os livros aqui do Brasil, eu já tinha notado que são caros e limitados. A unica coisa que fiz foi pegar umas apostilas de crianças que mostra um vocabulário basico, junto a isso tenho escutado algumas umas musicas em Hebraico ( ex: Yardena Arazi, Kobi Aflalo) e procuro as letras e jogo a tradução no google. Por incrivel que pareça tenho começado a entender algumas coisas. Pra mim o Hebraico é uma língua muito bonita de extrema sonoridade musical, algo muito prazeroso. Sabe como é, gosto não se discute rsrsrsrs ...

    Shabat Shalom;

    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estudar um idioma a partir de outro que não o seu (inglês por exemplo) parece uma coisa difícil, mas não é.

      Pelo contrário, acaba sendo super mais produtivo, uma vez que você está usando o tempo todo o lado do cérebro destinado a idiomas estrangeiros (sem voltar no seu idioma original) isso te deixa o tempo todo mais eufórico, mais acordado, faz com que você ganhe velocidade de raciocínio e destreza de pensamento na vida em geral e o que é mais legal, abre seu campo para entender idiomas que você nunca estudou.

      Sério, não é papo furado, não![Eu devia escrever sobre isso!] Depois que eu cheguei em Israel eu aprendi italiano e francês. Meu francês é fraco, mas meu italiano é bastante bom (claro que não tem o nível dos 4 idiomas que eu estudei de verdade, mas é um bom quebra-galho). Sem contar russo e romeno que eu não falo nada, mas entendo muita coisa, principalmente romeno que passa para mim quase como se fosse português.

      E eu pretendo começar a estudar árabe em breve. Só não comecei até hoje porque eu realmente tinha medo da pronuncia de um atrapalhar o outro. Mas agora, acho que o hebraico está firme o suficiente, já dá para eu "arranjar mais uma sarna para me coçar". rsrs.

      Sobre o livro com CD, me lembro que na época que eu comprei a vendedora falou que se eu quisesse com áudio ela encomendaria, mas como eu tinha pressa fiquei com o que tinha na loja, mas no seu caso, se tiver a oportunidade de comprar com áudio compre. Provavelmente o livro que você viu é o mesmo sim, apenas com os CDs a mais.

      No mais também acho o hebraico bonito, mas música ainda prefiro em português. Ainda acho a música a brasileira uma das mais bonitas do mundo. :)

      Excluir
  9. Olá Yaheli,
    Teu post foi super informativo e muito interessante. Tambem entrei no Ulpan, mas como já tinha um hebraico de orelhada (meus pais falavam hebraico em casa) entrei numa classe mais avançada e a gente lê jornal !!!!! Super dificil pra mim, mas estou melhorando. (fazem 5 meses que estou nesse Ulpan, aliás excelente, aqui em Kfar Saba). O problema é justamente a gramática e o raio dos verbos. Então que super bom que voce indicou os livros. Vou estudar sozinha em casa.
    E concordo plenamente com voce. TV, por mais que seja chato no começo, pois nao consigo entender 70% do que dizem (a linguagem é bem mais avançada do que o hebraico de sala e cozinha que meus pais falavam) e também porque a maior parte dos programas é sobre política (arghhhh que saudades da TV brasileira), dá pra aprender bastante.
    Super obrigada pelas informações!
    Ahuva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tv israelense só fala em política? Que canal você anda vendo? 99? Tenta ver o canal 22 ou o 10. A programação deles é meio parecido de manhã, são esses programas femininos, depois no 10 até o meio da tarde fica um programa chatíssimo de consulta astrológica. O povo liga para lá e se consulta, faz mapa astral e outras coisas. É chato, mas é bom para o hebraico (no mais eu não sei a programação do 10 porque não gosto muito dele) e 22 tem basicamente programa de humor e programas tipo big brother e outros estilo entretenimento vazio. Claro que todos têm jornal nos horários padrão, por volta de meio-dia, 6 da tarde e 8 da noite e manhã que eu não sei o horário.

      De resto fico feliz que o post tenha sido útil. Se eu puder ajudar com o hebraico de alguma forma, se tiver dúvidas, só falar, tá?
      bjs.

      Excluir
    2. Preciso de sua ajuda .
      Por favor e nao sei como me comunicar com esta pessoa " AHUVA ". Ela mora na cidade KFAR SABA , e eu estou querendo obter mais info sobre a cidade .Ve se ela pode me passar email, Skype ou algo para falar direta com ela. Toda' raba'

      Excluir
    3. Oi vou falar com ela, mas não prometo, só se ela autorizar, tá?

      Você está no meu face não está?
      Bem se estiver te dou o contato dela por lá, se não estiver deixa seu e-mail aqui, tá?

      Abração

      Excluir
  10. Oi,Yaheli,obrigado por lembrar de mim. Na minha casa o almoço do dia de sábado sempre é especial.É a melhor toalha de mesa e eu me esmero no cardápio e,claro no vinho tambem.Hoje eu fiz mocotó,pois o dia está bem frio,então tambem lembrei de ti pois como eu tu tambem curte o friozinho né? Só que aqui hoje não é friozinho não,é gelo puro e eu amo esta temperatura.Tu já comeu mocotó?Se quiseres te dou a receita ,é uma delicia e esquenta bastante e eu aprendi também á fazer o tchai indiano,fiz ontem á noite e tambem esquenta bastante.Todo o vinho aí em Israel é casher? Aqui no bom fim eu só encontrei casher,não sei se aí é assim também,estou ansiosa pelo post do vinho,os da serra gaúcha são muito bons, eu prefiro os daqui do que os chilenos e argentinos que são muito licorosos e mais alcólicos.Aguardo o post do vinho israelense.Beijão.Carmen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carmem,
      Sim eu já comi mocotó, meu marido faz super bem (comida trabalhosa quem faz é ele. rsrs) mas querendo passar a receita a gente aceita. :)
      Se quiser manda para o meu e-mail: yaheliberlinski@gmail.com

      Eu curto um friozinho, realmente, só que agora estamos entrando no pior momento aqui em Israel, fim da primavera e verão, a temperatura têm ficado na faixa dos 30ºC/34ºC durante o dia e uns 20ºC à noite. De agora até setembro é brabo.

      Sim, todo vinho em Israel é casher!
      Farei o post, aguarde! rsrs.
      beijão.

      Excluir
  11. Não estou aqui pra fazer propaganda, acreditem! Mas também gostaria de dividir minha " experiência" com o aprendizado do hebraico.
    Assim como vc, Yaheli, também estou num processo pra fazer Aliyah e me juntar aos meus sogros, que já estão em Israel.
    Tenho tentado me preparar um pouco para esta mudança radical e seu blog tem me ajudado bastante. Aproveito a oportunidade para te parabenizar pelo conteúdo e pela maneira como vc escreve. Muito simples e esclarecedora.
    Mas voltando ao assunto Hebraico, ha aproximadamente 2 anos e matriculei em uma escola de Hebraico pela internet para um curso online e acho que tenho tido um bom resultado.
    Ja tenho uma boa pratica de leitura, uma noção básica dos verbos e um pouquinho de vocabulário O curso e bem organizado, tem um excelente suporte e acho o material didático muito bom. Eles enviam os livros por correio e ainda disponibilizam um bom conteúdo online de textos e áudios, alem de aulas tira-duvidas.
    Claro, que aptidão pessoal e dedicação contam muito. Não que eu possa dizer que tenho preenchido estes dois quesitos. E e claro que uma aula por semana nem se compara com a imersão necessária para aprender uma língua tão diferente. Mas acho que e extremamente valido, principalmente para quebrar aquele medo/tabu do alfabeto ; e acho que com dedicação da pra ter um resultado razoável. Não tem jeito! Pra aprender a gente tem que se esforçar!
    Espero que me ajude quando for para o Ulpan!
    Por falar nisso, gostaria de saber um pouco mais sobre o Ulpan. O que vc chama de " Ulpan Diferenciado"?E feita alguma avaliação antes de iniciar o curso? Quando vc fala em nivelar por baixo, vc se refere ao nível de hebraico dos colegas ou a dificuldades de aprendizado mesmo?
    E isso!
    Boa semana, e, se possível com post novo!!!
    Abraços,
    Patricia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá Pati,
      obrigada por comentar!

      Eu sei qual é o curso a que você se refere, não posso falar nada sobre eles, uma vez que nunca estudei com eles, já ouvi todo tipo de opinião, mas não conheço, não tenho opinião formada.

      Eu acho que todo idioma requer dedicação, por exemplo eu estudei inglês no IBEU, conheço pessoas que estudaram comigo, terminaram comigo e hoje não conseguem formar 5 frases em inglês. O problema não é o curso, o problema são as pessoas.

      Agora hebraico tem fatores a mais, além de dedicação, é um idioma com uma estrutura diferente eu conheço pelo menos duas pessoas que estudaram em colégio judaico a vida inteira (cerca de 20 anos de hebraico) e ao chegarem aqui descobriram que não falavam nada ou quase nada.

      Mas, você virá em breve, terá a oportunidade de passar pela sua prova de fogo! :) Seja como for, óbvio que algum conhecimento é sempre melhor do que nenhum.

      Com relação ao ulpan, quando eu falo em nivelar por baixo tem a ver com o tipo de aluno que eles misturam. Por exemplo, você pode estudar numa sala com um médico, um pedreiro e um atendente de lanchonete. Pouco importa se as pessoas têm nível superior ou apenas o primário.

      E aí o que acontece? Quem sofre é você que tem mais nível, porque a professora não pode dar uma aula puxada para uma turma que não sabe a diferença entre verbo e substantivo, por exemplo. Então acaba sendo uma aula para ensinar qualquer coisa e ir levantando "a moral da tropa".

      Normalmente não é feita uma avaliação formal, se você disser que fala alguma coisa, a própria professora fará um teste oral com você ali na hora, caso você vá bem, ela te dará um texto para ler, mas normalmente o que acontece é te colocarem num ulpan começado há umas 3 ou 4 semanas, nada além disso.

      Em Israel existem alguns "ulpans diferenciados" para médicos, para engenheiros e para quem já está ha algum tempo no país e não terminou no tempo destinado a isso. Eu fiz um desse, só que no meu caso era um para quem tinha curso superior, então era uma turma mais puxada. Nossa prova final foi bem mais puxada. Por exemplo nossa redação final tinha que ter 3 páginas, prova escrita de 6 ou 7 páginas e a prova oral (uma parte de perguntas e respostas outra de apresentação da redação). Mas esse não é padrão.

      No mais, claro que eu ajudo no que eu puder. Só por curiosidade, vocês pretendem vir quando?

      bjs. :)

      Excluir
    2. Olá, Yaheli,
      Muito obrigada pelos esclarecimentos!
      Entao, sobre o meu comentário, parece que passei a impressão de que estou "bombando" no hebraico, como a gente diz aqui no Brasil, mas apenas quis dar uma sugestão para aqueles que como eu não tem nenhuma noção da língua.

      Tenho frequentado Israel anualmente nas ferias e, como vc disse, essa pequena prova de fogo já me serviu para saber que não eh qualquer cursinho online que vai me fazer aprender a dominar um idioma tão peculiar. O que eu não tinha total noção, mas pude confirmar com o seu post, eh que não da para apostar todas as fichas no Ulpan.

      Confesso que isso me preocupa um pouco, porque já percebi, como vc também já falou em um post, que por mais que vc fale inglês, dominar o hebraico e imprescindível.

      E ai começo a responder sua pergunta sobre quando pretendo fazer Aliyah.
      Pois eh, ainda não sei!
      A principio eu e meu marido estabelecemos uma meta, que eh no fim do ano que vem. Neste tempo pensamos em juntar algum dinheiro para termos um período de tranquilidade para a adaptação, e eu vou tentando me preparar um pouco estudando hebraico e também para a prova de revalidação de diploma.

      Nossos filhos também estão em idade escolar e essa eh uma outra preocupação. Temos planos de mandar o mais velho, que ira iniciar o ensino médio no ano que vem, para o Yemin Orde, que e uma instituição de ensino que tem a grade curricular igual a do Brasil e professores brasileiros. Conhece?

      E eh isso! Estamos decididos, porem um pouco receosos. Não eh fácil deixar a zona de conforto!

      Abraços.

      Excluir
    3. Oi Pati, não se preocupa eu entendi o que você colocou sobre seu o curso.

      Mas seja como for, continue estudando, mesmo que você não chegue aqui fluente, conhecimento sempre soma.

      Com relação ao seu filho, não vejo problemas com relação à escola normal daqui. As escolas israelenses são preparadas para receber imigrantes o tempo todo, essa é a realidade de Israel, imigração aqui não é exceção é regra, então não há o que temer com relação ao aprendizado dos seus filhos.

      Eu vou ser sincera, não acho que seja uma boa colocar seu filho na Yemin Orde, primeiro nem sei se pode (porque é uma escola para quem vem apenas estudar, não é destinada a quem faz aliah), mas mesmo que possa, você vai prejudicar o desenvolvimento e a adaptação do seu filho ao país.

      Em primeiro lugar toda escola regular tem reforço de hebraico, segundo ele não será o único imigrante na escola, talvez nem da sala dele. Quanto mais cedo ele for exposto ao hebraico, mas rápido aprenderá, quanto mais jovem mais facilidade.

      Se ele for para uma escola de brasileiros fatalmente falará português o tempo todo. só que ele tem quantos anos 14, 15? Com 16 e meio começam os preparativos para entrar para as forças armadas (entrevistas, psicotécnicos etc),ele não será isento de servir, simplesmente você terão tornado o caminho dele mais árduo.

      Ah! E outra coisa, ao chegar aqui, como os anos letivos são diferentes, provavelmente ele ganhará um ano. Ele será posto para frente, não para trás (normalmente é assim).

      Escolas em Israel não são tão rigorosas quanto as pessoas imaginam e toda a vida burocrática dele por aqui será mais fácil se ele entrar para uma escola regular.

      Mas, acho que a própria Ag. Judaica vai te dizer isso.

      Acredite crianças e adolescentes se adaptam e aprendem com mais facilidade.

      Claro até os 12 anos é uma coisa, acima disso já não é tão automático, mas será mais fácil para ele do que para você, não há o que temer. Sei que a intenção é protegê-lo, mas será proteger hoje, para prejudicar no futuro.

      E no mais, israel é um país muito tranquilo, querendo se adaptar você consegue.

      E o hebraico é dedicação, mas tendo filhos em idade escolar seu aprendizado será mais fácil que o meu. Isso você pode ter certeza. :)

      Bjs.

      Excluir
    4. Na verdade vou mandar meu filho no ano que vem, antes de irmos todos. Acho que vai ser valido pra ele ja ir tendo contato com o hebraico e talvez facilite sua adaptacao na escola comum. Ele esta naquela idade dificil, muito inseguro, e tem medo de nao dar conta de aprender hebraico e se adaptar na escola ao mesmo tempo. Nesta fase a escola já e puxada, imagine estudar quimica, fisica, algebra, sem saber o que os professores estao falando!!! Terrivel!!!!
      Imagino que eles devem ter toda uma estrutura para imigrantes, mas conheço meu filho, ele eh muito critico de si mesmo!
      Acho que vai ser uma boa experiência. Você conhece alguém que já passou por lá. Gostaria de referencias.
      Mais uma vez obrigada pela sua atenção. Admiro sua honestidade em seus comentários!
      Abraços!

      Excluir
    5. Oi Pati,

      Se seu filho virá antes acho que de fato pode ser uma boa experiência para ele. Não conheço ninguém que tenha estudado lá que eu possa te recomendar, mas com certeza é uma boa escola, excelente eu diria e totalmente dentro do programa de ensino do Brasil, então ele não vai nem sentir, de fato será uma transição bem suave.

      bjs.

      Excluir
  12. Pati se for a eTeacher sou professora nessa escola, o hebraico moderno é ótimo. E ouço bons comentários de quem estuda Hebraico na eTeacher e vai para Israel depois. Mas claro, a dedicação do aluno é 70% do trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe o que eu acho curioso, você entrar para dizer que a e-teacher ou qualquer outro curso é bom, dizer que dá aula lá, quando ali em cima você mesmo admitiu que não fala hebraico.

      Eu só queria entender duas coisas: Se lá é tão bom, por que você não aprendeu? E segundo, se você não fala hebraico moderno como pode avaliar que alguém aprendeu bem?

      Excluir
    2. você é muito viva e inteligente. Parabéns !

      Excluir
  13. Muito bacana o post, Yaheli!
    Apesar de não comentar muito, estou sempre por aqui lendo seus posts!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Shlomo,
      Bom ver você por aqui!!!

      Fico feliz que esteja sempre acompanhando o blog, mas querendo deixar um alô de vez em quando é sempre muito bem-vindo. :)

      Um grande abraço.


      Excluir
  14. Putz, estudantes de idioma são os piores para se auto avaliarem, se em inglês a maioria não fala nada e se diz fluente, imagine se tratando de hebraico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você! A maioria dos estudantes de idiomas superestimam seu aprendizado e no momento em que são colocados a prova, percebem que não falam nada ou quase nada.

      E sem sombra de dúvida o grau de dificuldade do hebraico é multiplicado muitas vezes em relação à maioria dos idiomas.

      Por isso que eu digo, fora de Israel você pode conseguir ter uma breve noção de hebraico, mas falar só morando aqui.

      Só fazendo tudo que tem que fazer na vida em hebraico, desde as coisas mais simples como ir ao banco ou falar com um serviço de atendimento ao consumidor por telefone até ir para o escritório e trabalhar o dia inteiro falando, ouvindo e escrevendo hebraico 100% do seu tempo.

      Aí você sabe que funcionou, não tem achismo, nem superavaliação.

      Mas, sabe que eu acho que grande parte desse excesso de auto-confiança que parte dos estudantes tem, é culpa dos professores.

      Culpa dos professores e do atual método de ensino de hoje em dia, de querer transformar tudo em algo descontraído, leve. Sem falar no tom motivacional que existe em tudo que é curso/escola.

      Não é assim que se estuda e não é assim que se aprende, nunca foi. Antigamente o ensino era duro e todo mundo saia das escolas sabendo tudo, hoje o ensino é "light" e as pessoas saem das escolas e cursos sabendo cada vez menos.

      Excluir
  15. Shalom Yaheli.
    Parabéns ultrapassou os 90 mil !!!
    Estou correndo atrás do livro "Hebrew With Pleasure", mas so tem no exterior e no site da Amazon.
    Tem uma livraria chamada Gefen em Jerusalem que tem tambem, você conhece ? Sabe ela existe mesmo ou é só virtual ?
    http://www.gefenpublishing.com/
    Laila tov;
    Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel,

      Pois é, passou de 90 mil, estamos com uma média de 13 mil visualizações por mês, então acho que chegaremos a 100 mil mais ou menos quando completar um ano de blog (mês que vem). :)

      Sobre a livraria conhecer propriamente só conheço de nome, acho que são editora também, mas é uma empresa grande, não tem com o que se preocupar. Pode comprar com eles tranquilamente.

      Abraços

      Excluir
  16. Ufa! Consegui ler tudo! Sempre quis saber se esse Ulpan é um curso oferecido pelo Governo ou a pessoa é quem paga as aulas. E quanto custam os livros que postou e se vendem para o Brasil. Responda-me por favor. Aqui no Brasil os cursos de hebraico são voltados para a religiosidade e e o que eu tenho Alef Milin é antigo e já li tudo. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marion,

      Então para quem é judeu e faz aliah o ulpan é de graça e o livro do ulpan também é de graça. Parece que tem ulpan que cobra pelo livro, enfim, o meu não cobrou, mas de qualquer forma é mixaria, algo como 50/60 shekels.


      Agora para quem vem com outro visto ou quer apenas estudar aqui o ulpan é pago sim. Os ulpans do governo saem na faixa de 2.500 shekels (por semestre), os paticulares saem bem mais caros (numa faixa de 4000 a 12000 shekels por semestre)

      Honestamente não lembro mais quanto paguei nos livros que eu mostro acima, mas acho que foi algo em torno de 350 shekels a coleção toda.

      Sei que é possível comprar todos na Amazon.com
      Porém os livros da Meira Maadia você pode comprar no site dela também, que aliás foi onde eu comprei a coleção toda (menos o verde que eu ganhei no ulpan)
      Se quiser dar uma olhada lá, o endereço é:
      http://succeedinhebrew.com/english/

      Beijão

      Excluir





  17. Shalom Yaheli. tenho 14 anos e estou estudando hebraico umas 2 semanas por que quando eu ser de maior vou morar em Israel já sei escrever 4 palavras em hebraico traduzir para o português e ler em hebraico estou aprendendo rápido? outra pergunta muito importante é aí em Israel falam hebraico bíblico ou hebraico moderno? desde já muito obrigado Yaheli.





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Davi, tudo bem?

      Esquece hebraico bíblico em Israel só existe hebraico moderno.
      Está indo bem no estudo continua assim.

      Abraços.

      Excluir
  18. Shalom Yaheli. tenho 14 anos e tenho 4 anos para estudar hebraico por que quando fizer 18 vou morar em Israel mais tenho uma pergunta tiver 18 anos e for morar em Israel vou encontrar vaga em algum apartamento? quanto custa mais ou menos o alugal aí ? e eu vou conseguir emprego em Israel ou só por que sou Brasileiro não vou conseguir? desde já te agrdeço muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, eu já escrevi sobre preços de aluguel e sobre custo de vida, mas de verdade daqui a 4 anos as coisas podem já ter mudado um pouco, certo? Nem tudo que você ler hoje será uma realidade para daqui a 4 anos.

      Mas se quiser ler sobre custo de vida, eu escrevi aqui:

      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2012/09/custo-de-vida-em-israel.html

      Sobre aluguel eu escrevi aqui:

      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2012/08/alugar-apartamento-em-israel.html

      E sobre imigração e trabalho em Israel eu escrevi nesse post:

      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2013/04/programa-de-imigracao-e-trabalho-em.html

      De resto, como você não disse se é judeu ou não, não tem muito como eu te dizer nada além disso, mas dá uma pesquisada no blog que você provavelmente vai encontrar muita coisa que te interesse.

      Abração

      Excluir
  19. Respostas
    1. Pois é, então a chance de você conseguir imigar para cá legalmente é quase impossível.

      Excluir
  20. Shalom Yaheli quero saber uma coisa tipo assim um homem que mora no Brasil vai para Israel e se casar com uma israelense e ele ter um filho com ela o filho deles dois éconsiderado judeu de origem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o filho sim, porque o judaísmo passa pela mãe. Mas, isso não converte o pai não.

      Excluir
  21. outra pergunta: o filho do pai brasileiro vai ser tratado como um verdadeiro judeu de origem? , outra pergunta é como se converte para o judaísmo? e como posso saber se minha avó ou tara vó foi judia têm que fazer DNA para saber se eu tenho parte com judeus? ps:eu falei da família da parte de mãe por que é branca é da parte do meu pai é moreno bem claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está confundindo as coisas, uma coisa é ser judeu,outra coisa é ser israelense.

      Você pode ser judeu e ser brasileiro, como eu sou.
      A nacionalidade israelense é dada a pessoas de origem judaica, mas nem todos os israelenses são judeus, cerca de 20% da população não é.

      Judeu normalmente sabe que é judeu, exame não serve para nada, nem cor da pele, o que serve para fins de imigração é poder comprovar o seu judaísmo até o terceiro grau e quem atesta isso é um rabino.

      Dá uma lida nesse link:

      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2012/08/lei-do-retorno-direito-ao-aliah-e.html

      E sobre conversão eu não sei nada, então se quiser saber algo sobre isso procure uma sinagoga.

      Excluir
  22. mesmo eu sendo cristão posso entrar numa sinagoga sei lá eles mão vão me espusar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk.
      São seres humanos lá dentro, não são animais.
      Não vão te expulsar, mas para entrar normalmente é preciso ligar antes.

      Excluir
    2. E vou ser sincera, conversão ao judaísmo não é uma coisa muito bem vista e nem fácil, ainda mais se eles souberem que o objetivo é imigrar para Israel, mas com certeza expulso de uma sinagoga você não será.

      Excluir
    3. kkkkkkk legal saber disso mais tenho outra pergunta, qual é o lugar de Israel mais têm israelenses judeus?

      Excluir
    4. Todos.
      80% da população de Israel é de origem judaica.

      Excluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. outra pergunta na sinagoga do Brasil o rabino fala só hebraico? e outra pergunta você vai á sinagoga desde quantos anos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, eles falam português, a grande maioria dos rabinos no Brasil são brasileiros, mesmo.

      Excluir
    2. Eu não frequento sinagoga nenhuma nunca frequentei, eu nasci judia (eu não me converti ao Judaísmo), mas não pratico essa religião.

      Excluir
  25. de quantos reais eu preciso para morar em Israel?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende da vida que você queira levar. De quanto vc precisa para viver no Brasil? Provavelmente vai precisar do mesmo valor para morar em Israel, isso se você pagar aluguel aí, se não contabilize mais esse valor.

      Excluir
  26. então desculpe mesmo mais tenho outra pergunta kkkk geralmente a maioria dos judeus que vão para a sinagoga aqui no Brasil são israelenses?

    ResponderExcluir
  27. quer dizer a maioria que vão nas sinagoga do Brasil são israelenses ou dessedentes de israelenses ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, a maioria são judeus nascidos no Brasil.

      Olha só, agora que você me adicionou no Face, faz as outras perguntas por lá em privado, porque é mais fácil para eu responder por lá, porque eu passo boa parte do dia conectada no Facebook, então perguntinha curta assim dá para eu responder na hora, tá?

      só que as próximas eu só respondo amanhã, porque já está de madrugada aqui, ok?

      Excluir
  28. É uma delícia ler "você". O seu senso de humor é bem peculiar e torna tudo bem divertido.

    ResponderExcluir
  29. Mto boa a sua história com o hebraico!Gostei muito!!!!!!

    ResponderExcluir
  30. Nossa, apaixonada pelo seu blog! Meu sonho é conhecer Israel.

    ResponderExcluir
  31. Eu pretendo fazer o curso de letras português/hebraico na UFRJ ou USP. Adorei seu blog e não vou desistir nem que eu tenha que estudar em Israel depois que eu terminar a universidade.
    Shalom,
    Roni.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De coração, te desejo toda sorte do mundo!

      Abraços

      Excluir
  32. Olá Yaheli, estou me programando para morar em Nazareth (foi o lugar que consegui para começar). Meu foco é aprender hebraico. Gostaria de ouvir hebraico todo dia e ter pequenas conversas, no começo. Eu vou conseguir isso em Nazareth? Vou trabalha no Hospital Nazareth Trust, como voluntário usando o meu ingles, que é fluente.
    Fred

    ResponderExcluir
  33. Oi, como faço pra comprar esses livros? eu vivo no Brasil mas também pretendo sair.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Sei que é possível comprar todos na Amazon.com

      Porém os livros da Meira Maadia você pode comprar no site dela também, que aliás foi onde eu comprei.

      Se quiser dar uma olhada lá, o endereço é:
      http://succeedinhebrew.com/english/

      Abraços

      Excluir
  34. Olá Yaheli. Queria saber a sua opinião. O estudo de hebraico pela E-teacher Hebrew vale a pena? Parece ser excelente, pois os professores são nativos de Israel e as aulas são ministradas ao vivo pra vc e quase que exclusivamente em hebraico (só no começo, claro, que eles usam outro idioma para te explicar as coisas). O que vc acha desse site? O curso tem duração de 9 meses. Será que com 9 meses dá para ter um hebraico intermediário?

    Ps: gostei muito de seu blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Othong,

      Honestamente, não me sinto muito à vontade para falar da e-teacher, não conheço eles na prática, nunca estudei por eles e conheço pessoas que trabalham lá, então acho meio anti-ético da minha parte falar algo a respeito deles.

      Mas genericamente falando, para hebraico, acho que cursos virtuais são caros demais para o aproveitamento que você terá.

      E não, em 9 meses você não terá um hebraico intermediário.

      Abraços

      Excluir
  35. Prezada Yaheli Berlinski

    Meu nome é Thomas Stockmeier, com cidadanias do Brasil, Polônia e Alemanha; nasci em São Paulo-SP, filho de pai alemão e mãe polonesa; a mãe da minha mãe, minha avó materna, Anna Voss, era judia polonesa.

    Sou médico e trabalhei para uma empresa israelense em Angola, a Staromedic, em 2011, ficamos até o fim do contrato, e pude aprender algo em hebraico conversando com meus colegas israelenses.

    Vou fazer o eteacher para melhorar meu nível de hebraico, e tentar escapar do ulpan, pois no meu caso só compensa entrar em israel com hebraico ok para tentar me legalizar como médico aí, isto conversei com meus colegas em 2011.

    Preciso terminar minha conversão ao judaísmo num centro ortodoxo aceito pelo governo de israel, sobreviver às 3 negativas clássicas do rabino, ou casar com judia, no momento sou viúvo.

    Será quem em uns 2 a 3 anos, mesmo estando fora de Israel, consigo chegar perto do seu nível de hebraico?

    ResponderExcluir
  36. Oi Thomas,

    Bem, vamos por partes e vou começar respondendo o que você não perguntou. Mas se a sua avó era judia e se você puder provar isso, não há necessidade de conversão, basta comprovar e solicitar uma certidão de judaísmo.

    Agora, sobre o hebraico, falando muito sinceramente, uma coisa é ter um hebraico médio que talvez até te permita passar numa prova de medicina, outra coisa é ter o hebraico igual ao meu.

    Então, não, igual ao meu, morando no Brasil você não terá.

    Acho possível que você até consiga ter algum hebraico estudando adequadamente, mas não acho que isso se dará estudando com a e-teacher. Não acredito que você consiga passar de nada muito básico através do curso deles. Minha opinião, baseada no pouco que eu conheço deles, mas no muito que eu conheço de hebraico, certo?

    Se você fala inglês tente estudar a partir do inglês, só a partir do inglês você encontrá material didático bom e que realmente te dê alguma possibilidade de evolução ou se você já tiver um mínimo nível de hebraico, tente estudar direto por livros em hebraico, como se estuda em qualquer curso de idioma.

    Caso contrário, você não conseguirá nada além de algo muito básico e útil apenas para que você entre num ulpan aqui.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  37. Yaheli,

    O canal Hinuchit tem diálogo em hebraico, mas não tem legendas no mesmo. Você não saberia me dizer de algum canal em hebraico com legendas em hebraico?

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Shlomo,
      Legendas que você diz em hebraico mesmo, né?

      A maior parte da programação de Israel tem legendas em hebraico, mas programa educativo não me lembro de nenhum.

      Vou procurar alguma coisa, se eu achar posto aqui mesmo mais tarde.

      Abração

      Excluir
  38. Shalom! Você da aulas via Skipe? Todá Rabá pela resposta.

    ResponderExcluir
  39. Oi Yaheli, esse livro da Meira Ma'adia que citou no post vem com as respostas dos exercícios no final ?

    Acaso conhece esse outro livro da Meira Ma´adia http://succeedinhebrew.com/English/book_easy1.asp ?

    Estava pensando em comprar esse último, após ler o post fiquei com dúvida. rs

    Grato




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,
      Não, o livro não vem com as respostas. Nenhum deles.

      Esse outro livro, eu não tenho, mas conheço. É de uma série mais voltada para criança/adolescente ou para quem tem muita dificuldade. É um livro bem mais fácil, bem menos profundo. Mas de qualquer forma é um bom material para começar, se você se sentir mais seguro em começar com esse, por que não?

      Abraços.

      Excluir
    2. Já estudei um pouco de hebraico, consigo ler um pouco (sem nikud), mas sinto algumas dificuldades nos grupos verbais, pensei em adquirir esse livro da Meira Ma´adia que cita no post para estudar sozinho, por isso que perguntei se vinha as respostas dos exercícios..rss, vou brevemente comprá-lo, agora parece que é vendido com Cds.. melhor ainda...rs. Obrigado Yaheli

      Excluir
  40. Shalom,Yaheli!

    Navegando pela ne procurando algo a mais sobre hebraico me deparei com o seu blog, que na verdade gostei muito, parabéns!
    Estudo a 4 meses o idioma hebraico com um professor particular, que segundo o mesmo no primeiro ano de aprendizagem é o da alfabetização, até aí nenhum problema.
    O meu questionamento é sobre os sinais já que desde o início do curso estou aprendendo com os mesmos.
    Existi uma regra para abandonar os sinais? Se tem como devemos proceder? Tenho um livro sem nenhum sinal, por onde começar para entendê-lo?
    Como descobrir o seu blog recentemente eu não sei se você tem alguma matéria sobre o tema; se tiver por favor me envia o link, se não ficarei honrosamente agradecido por uma resposta, seja respondendo a minha pergunta ou fazendo uma postagem sobre o tema.
    Desde já mui grato pela sua atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo,

      Sinto lhe informar que seu professor está certo e errado.
      Está certo quando diz que o primeiro ano é de alfabetização e está errado quando fica te ensinando a ler com pontos.

      Pontos são para serem usados por uns 2 meses no máximo até você se acostumar com o alfabeto, mas depois disso eles precisam ser retirados, você não é criança para estudar com pontos por tanto tempo, não vai adiantar nada, todo seu esforço será perdido.

      Hebraico funciona assim:
      Você precisa ter um primeiro contato com o idioma, como qualquer outra língua, precisa conseguir pelo menos repetir e ler algumas frases básicas (mesmo que de maneira decorada, sem os pontos).

      Depois disso, você passa para o estudo das estruturas verbais. A partir delas, você vai compreender a leitura de 80% do idioma.

      Existem 7 grupos verbais e esses grupos verbais tem regras próprias de leitura em todos os tempos e nos substantivos a que dão origem. Decore essas regras e acabou-se a história do hebraico. O resto é treino!

      Tudo que eu podia dizer, eu disse no texto que você leu e nesse outro aqui sobre método de estudo de hebraico:

      http://vivendoemisrael.blogspot.co.il/2013/11/hebraico-metodo-de-estudo.html

      Mas pensarei em fazer um post específico sobre como tirar os pontos (nekudot). É uma ideia boa e já me pediram isso. :)

      Abraços

      Excluir
  41. Shalom,Yaheli!
    Muito obrigado pela resposta,foi muito esclarecedor.

    ResponderExcluir
  42. Olá Yaheli!

    Antes de tudo chamo-me Kátia Santos, sou pedagoga e muito atraída pelo hebraico, leio em espanhol e me esforço no inglês (rsrsrsrsrs.....quase totalmente péssima,mas tenho que me esforçar).

    Encontrei seu blog hoje e li alguns posts, muito bons!
    E concordo que aprender hebraico é realmente difícil, acho que aprender inglês e espanhol é bem mais fácil, creio que o hebraico seja tão complicado como as gramáticas orientais. Bem, estou matriculada em um curso à distância (não citarei o nome do curso) mas digo que estou burramente (digo, obrigatoriamente) pagando sem aproveitar, mas o problema é apenas meu no sentido de não ter me adaptado ao método de ensino, e obrigatoriamente por não poder quebrar o contrato, tendo que pagar até o fim, pior para o meu bolso!!!!!
    Gostei dos livros que vc mostrou sobre aprender hebraico, e concordo que o hebraico bíblico é bem diferente do hebraico moderno sendo mais vivo e dinâmico.....fiz uma escolha sem ter experiência, mas as coisas são assim mesmo, vivendo e prendendo. Escuto muitas músicas e consigo identificar poucas palavras, já que faço um estudo a parte, difícil são as pronúncias e faço algumas confusões, mas vou levando. Aqui no Brasil é bem difícil encontrar literatura adequada a aprendizagem, principalmente quando se é uma autodidata. Minha pergunta é: Vc teria condições de conseguir tais livros iniciais para enviar para mim? Se for possível, poderíamos combinar custos de compras e envio!? Moro em uma região que não existe qualquer tipo de literatura em hebraico, ou sinagoga ou algo semelhante.....é como desbravar uma terra intocada. Deixo meu e-mail caso ache que possa me prestar este favor.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Katia tudo bem?

      Olha eu te enviar é complicado, mas você encontra todos esses livros na amzazon.com

      E os da Meira Maadia (a escritora que eu cito acima) você pode comprar diretamente do site dela. O site está em inglês:

      http://succeedinhebrew.com/english/

      Te desejo sorte nos estudos.
      Abraços.

      Excluir
  43. Olá Yaheli,

    Irei me matricular no curso de hebraico da UFRJ, quero saber, se esse curso vale apena, o curso tem duração de 2 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruno,
      Não conheço o curso da UFRJ, mas provavelmente é o que você vai encontrar de melhor no Brasil.

      Boa sorte!

      Excluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...