terça-feira, 23 de abril de 2013

Kibbutz nos Dias de Hoje

Kibbutz são associações comunitárias que surgiram em Israel no início do século XX e que tinham por objetivo "criar" o Estado de Israel, até então território Turco-Otomano. 

Os kibbutz (ou kibbutzim, plural em hebraico) surgiram do movimento socialista-sionista, que na realidade muito pouco tinha de religioso. O grande elo de união entre as pessoas era o sentimento de povo e de nacionalismo, a religião judaica nunca esteve em primeiro plano.

Os territórios que deram origem aos kibbutz foram comprados do império Turco-Otomano e de árabes que viviam na região. O objetivo do movimento sionista era comprar o máximo de terras possíveis e o objetivo do movimento kibbutziano era trabalhar a terra e tornar os kibbutz locais autossustentáveis onde se pudesse plantar, colher, criar animais e, naquela época esta era a forma mais sensata de se sustentar e obter lucro. E todo lucro era dividido igualmente entre os membros dos kibbutz.

Da concepção inicial até os dias de hoje, muita coisa mudou. O primeiro kibbutz foi o Degania, fundado em 1910.

Imagens do mesmo lugar, em 1910 e atualmente.

Foi fundado com apenas 12 pessoas. 10 homens e 2 mulheres.
Atualmente no Degania funcionam uma série de coisas, como restaurantes, parques, museus e há várias atividades recreacionais inclusive para crianças.

Restaurantes.
Placa de orientação dentro do kibbutz. A placa diz: Secretaria/ Chatzar Rishonim (que é o nome de uma área dentro do kibbutz) /Museu.

Parte do museu e um café podem ser vistos nesta foto.
E na prática o que mudou no conceito de kibbutz nesses anos todos? 

É inegável a importância dos kibbutz na formação e sustentação inicial do Estado de Israel, porém, e como de fato era esperado, kibbutz hoje em dia são organizações muito mais comerciais e comprometidas em se manter do que em conservar ideologias.

Antigamente, para pertencer a um kibbutz bastava ter vontade de trabalhar e, obviamente compartilhar das ideias socialistas-sionistas. 

Atualmente para ser membro de um kibbutz é preciso ser aprovado por uma assembléia, o que pode levar até dois anos, nesse meio tempo você se muda para lá e fica pagando aluguel, participa de algumas atividades, mas não tem direito a nenhum benefício que muitos kibbutz têm como usar o carro, fazer parte de planos de telefonia (entre outras coisas) mais baratos e entrar na divisão dos lucros que diga-se de passagem já não valem muito a pena e se valer, muito dificilmente você será aprovado.

Num kibbutz ou você trabalha lá ou trabalha fora de lá, não existe não trabalhar. Caso você seja aprovado como membro você poderá trabalhar lá e receberá sua parte na divisão dos lucros no fim do mês caso trabalhe fora do kibbutz seu salário será depositado diretamente para eles e entrará na divisão de lucros do kibbtuz e você receberá o que todo membro do kibbutz (Chaver HaKibbutz) recebe, podendo ser um valor maior ou menor que seu salário. 

Atualmente nos kibbutz que ainda existem funcionam todo tipo de atividade desde hoteis, spas e restaurantes até fábricas e empreendimentos agrícolas em sua maioria altamente especializados. 

E apenas para deixar claro, pelo menos hoje em dia, não há nada de religioso no modelo de kibbutz, tanto assim que nem todo alimento fabricado em kibbutz é casher, aliás há kibbutz que processam até carne de porco, então vamos esquecer a história da religião, certo?

A maior parte dos membros dos kibbutz trabalham fora de lá, o que significa que quem trabalha lá é contratado de fora e recebe salário normalmente, de acordo com a função que exerce. 

Lamento destruir os sonhos encantados daqueles que acham que vão vir para Israel e colher laranjinhas em lindas cestinhas de vime pela manhã e passar o resto da tarde cantando e dançando em volta de uma fogueira, kibbutz são instituições altamente comerciais e profissionais que funcionam dentro de um país extremamente capitalista.

25 comentários:

  1. Shalom Yaheli, parabens pelo excelente post e pelas lindas fotos.

    Mas é isso ai pra frente é que se anda, esse papo de socialismo e outros rótulos não podem emperrar o progresso de toda uma nação.

    Israel avante e cada vez mais alto.

    Shalom;
    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel,

      Há quanto tempo não vejo um comentário seu por aqui. Fico feliz. :)

      Na verdade os kibbutz ainda têm algo de socialistas, como aliás o próprio Estado de Israel tem na sua essência, o que eles não tem mais nada é de religiosos, como supõem muitos.

      Abração

      Excluir
  2. adorei o post Ya...quando estive ai já tinha entendido isso, mas vc sempre nos traz coisas bem esclarecedoras.
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que eu sempre consigo trazer algo novo e que bom que você gostou.

      bjs.

      Excluir
  3. Oi, Yaheli

    Ótimo post, como sempre! Como disse a Rosana, você sempre nos traz coisas bem esclarecedoras!

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. Shalom Yaheli, parabens mais de 67 mil acessos .

    Pois é andei sumido mesmo, estou enrolado, problemas no trabalho e com as contas. Aqui trabalha-se como um burro de carga, paga-se muito para não ter direito a nada.

    As coisas aqui aumentaram muito principalmente o aluguel, mas o governo diz que a nossa inflação é quase zero e ainda por cima diminuiu, o já pequeno, rendimento da poupança.

    Só pra voce ter uma ideia, por volta de 3 anos atras, um imovel aqui que o aluguel custava uns 800 a 900 agora fica por 1.800,00 fora condominio e outras coisas mais. E o salário ? Apenas se "repõe" uma inflação segundo o governo de 6% ao ano ...

    Isso ai tem me tomado muito tempo me prejudicando no estudo do Inglês. Mas foi só um desabafo, não sei se ai em Israel as coisas são parecidas nesse ponto.

    Shalom;
    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo do Brasil me diz exatamente a mesma coisa, principalmente sobre o preço dos alugueis e alimentos.

      Eu lamento tanto o Brasil ter chegado no ponto que chegou, mas não, Israel, obviamente não é um país perfeito e, apesar de não ter um custo de vida baixo, inflação, salário e custos andam sempre bem equilibrados, fora que aqui você pode contar com o governo para muita coisa e o que talvez seja o principal, aqui quando as coisas ficam ruins o povo vai para as ruas, pressiona e o governo toma providências. Essa é a grande diferença!

      Eu já escrevi sobre custo de vida em Israel, mas talvez seja hora de escrever sobre custo de vida com um outro enfoque, farei isso em breve.

      Excluir
    2. Shalom Yaheli, sou eu de novo ... tudo bem ai ?

      Se puder acrescente nesse novo post informações de como é o Imposto de Renda ai em Israel, quem paga ou não, isenção, limites, etc.

      Ou se há algum outro imposto que tenha ai em Israel e que não tenha no Brasil, essas coisas assim.

      Shalom;
      Gabriel.

      Excluir
    3. Isso já me pediram várias vezes, um post sobre impostos e contribuições, vou escrever sim, até porque há coisas aqui bem diferentes do Brasil.

      Logo logo esse post sai.

      Excluir
  5. oi,Yaheli.Não preciso dizer que amei o post,não é?Eu estava querendo muito estes esclarecimentos sobre os kibutzim e confesso que eu tinha uma idéia mais romântica sobre eles e tu,novamente mostra tudo nu e cru.Melhor assim.E as fotos? Não estão aparecendo aqui, tu fala nelas mas as mesmas não aparecem não sei porquê!Obrigado,mais uma vez.Já estava com saudade.Beijos.Carmen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita gente têm ideias românticas dos kibbutz por causa da história que é passada, como era, como começou e de fato a história é bonita tem muito de coragem, valentia e determinação, mas isso acabou, Israel não tem um único local que seja um sacrifício morar ou que seja inabitável. Israel é um país 100% pleno e moderno.

      beijão

      Excluir
  6. Oi,Yaheli,sou eu de novo,agora apareceram as fotos.Não pensei que fossem tão modernos os kibutzim,são lindos e, pelo que dá pra perceber,bem organizados.Beijos.Carmen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falei com algumas pessoas que conheço no Brasil e ninguém teve problemas para carregar as fotos, acho que talvez seja sua internet.

      De fato, são lindos. E há outros muito mais bonitos que esse, mas coloquei esse por ter sido o primeiro.
      bjs.

      Excluir
  7. Me interesso por Israel desde uns 11 anos de idade (hoje eu tenho 24)e, depois de ter visitado Israel, meu amor só aumentou. A cada post desse blog, dá cada vez mais vontade de meter a cara num curso de hebraico e tentar a sorte em Israel, mas, depois do post sobre imigração, o jeito é ficar aqui pelo Brasil msm, rs Parabens pelo blog!! =]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, fico feliz que goste do blog. Eu tento passar sempre a realidade de Israel da forma mais verdadeira possível, acho que é bom as pessoas saberem o que vão encontrar, né?

      Beijão e obrigada por comentar.


      Excluir
  8. Bom que você explica sem rodeios, pra ninguém viver no passado.
    Shalom from Brasil!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Priscila,

      Pois é, o que eu tento é sempre mudar esses conceitos antigos e errados que as pessoas têm sobre Israel.

      Que bom que gostou, obrigada por comentar.
      bjs.

      Excluir
  9. Eu nao gosto e nunca gostaria de morar em um lugar assim, mas o conceito até que é legal, mas nao é pra mim.. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem eu, muito invasivo, acaba com a sua privacidade. O conceito é legal na teoria, mas na prática acho bem complicado viver assim, pelo menos para nós que fomos criados com outros conceitos na cabeça.

      Beijão.

      Excluir
  10. Fiquei apaixonada por Israel,tudo muito organizado acho que facilmente me adaptaria viver ai.Estou querendo fazer um curso hebraico mas parece ser muito complicado para nos brasileiros... Yaheli,dê sua opinião sobre isso. E dificil aprender pelo menos o minimo para sobreviver como turista para não depender muito de guia??? Pretendia fazer um curso on line... Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sônia,

      Hebraico é um idioma um tanto quanto diferente da maioria, é meio complicado dizer que você vai aprender um pouquinho ou mais ou menos, como pode ocorrer com inglês ou espanhol.

      Eu até acho possível que você decore algumas frases, consiga repetir e entendê-las, mas hebraico tem uma estrutura muito complexa, não existe hebraico básico, ou você sabe ou você não sabe.

      Não quero te desestimular a estudar, muito pelo contrário, alguma noção é melhor do que nenhuma, mas eu não acho muito possível aprender hebraico em menos de 2 ou 3 anos e morando em Israel sem morar acho que esse tempo pelo menos dobra.

      Mas para ter uma breve noção, conseguir entender os números, talvez comprar um sanduíche ou pedir uma orientação muito simples, acho que o curso on line pode ser uma boa, por que não?

      bjs.

      Excluir
  11. Gostaria de expressar aqui publicamente,meu mais profundo agradecimento à Yaheli Berlinski,por tudo que fez por mim,gente,eu a encontrei no facebook pelo link que ela havia disponibilizado e pasmem, em 20 minutos de conversa ela fez o que parecia ser impossivel, ela realmente conhece muito sobre Israel. obrigado por sua atencao e sobre tudo sua simpatia,te desejo muito sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Rafael.
      Te desejo todo o sucesso do mundo também.
      Que Deus te abençoe!!!

      Excluir
  12. Olá, Yaheli. Eu fui voluntário no kibbutz Lahav de Dezembro de 2012 a Março de 2013 e durante esse tempo eu escrevi o meu blog sobre a minha vida em Israel em naterradoshalom.blogspot.com. Se quiseres deixar as tuas opiniões agradecer-te-ia.

    ResponderExcluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...